quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Tarefa e responsabilidade...



Quem, verdadeiramente, procura estar em si e cuidar-se, a fim de manter-se unido a seu Ser, em sua natureza e destino, assume uma tarefa e uma responsabilidade, que não é para consigo apenas...

Assim sendo, ao invés de se preocupar com as situações, seduções ou atrações do externo, temendo-as, procura identificá-las, reconhecê-las, para delas se distanciar.

Não se permite a distração ou a ilusão. Ciente de si, escolhe o silêncio, o recanto, o sossego e mantém-se assim, sem se importar com o que os outros julguem ou falem.

Afasta-se, comede-se, reserva-se, a fim de preservar-se, resguardar-se e manter a paz e a harmonia interior.

Em silêncio e sem alarde, busca-se, procura reconhecer-se e encontrar-se, continuamente, distante do adverso ou ilusório.

O verdadeiro cuidado interior se dá através do silêncio e da vigília, passa pelo reconhecimento das limitações, dos enganos, dos desafios e do compromisso para com o Ser, que é necessário firmar e manter.

Usee


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Se agíssemos em vista do Bem...


Google Imagem

Se agíssemos pelo que é bom; em vista do Bem, e não pelo que nos interessa ou pelo que esperamos em troca, muita coisa seria diferente, a começar pelo “caráter” das relações que estabelecemos com os outros, primaríamos pela clareza, transparência, sinceridade...

Quando agimos motivados por nosso querer, mas em vista de uma recompensa ou reconhecimento, a tendência é que nos limitemos e nos minimizemos diante do outro ou da situação para a qual esperamos aceite/apreço ou prêmio.

Aí muita coisa passa a estar envolvida, a começar pela dignidade e integridade, nossa e nos outros...

Entretanto, não é fácil nos fazer sabidos/ entendidos em nossas ações/atitudes, quando estas são desinteressadas.

A dificuldade reside no “olhar”/“julgamento” do outro e pela importância damos a isto. 

Falta-nos o entendimento de que o outro, por desconhecer nosso Interior, nosso Coração, nossa intenção e por desconsiderar nosso arbítrio e caminho, "raramente" (ou nunca) vai estar na mesma sintonia que a nossa.

Usee


domingo, 16 de dezembro de 2012

Quem se inclina a retidão


Foto: Usee

Quem esforça e se inclina a retidão
toma o caminho da sinceridade
para consigo e para com o Todo.

Estabelece para si
um propósito fundamental,
e por ele se observa, avalia e vigia.

Por ele, mantém-se
na observância e instrução
da Verdade inscrita
em seu Ser e Coração.

Quem assim procede 
se inclina (naturalmente) a ser e agir,
de acordo com esta inscrição.

Usee


sábado, 15 de dezembro de 2012

"Nossos Problemas" - Omraam Mikhaël Aïvanhov


Foto: usee

Muitas vezes, nós procuramos desembaraçar-nos dos problemas dando-lhes soluções exteriores; contudo, deveríamos procurar enfrentá-los interiormente, para lançar sobre eles toda a luz.

Pode-se comparar esta atitude à de uma mãe que é obrigada a corrigir um filho desobediente.

Em vez de se esforçar por compreender primeiro as razões do comportamento dele, pois há certamente algo a compreender, ela dá-lhe um par de bofetadas para ficar sossegada.

Usa, assim, o meio mais fácil, e a criança continuará a desobedecer.

Pois bem, é preciso saber que os nossos problemas são também, de outra forma, nossos filhos, e que, consoante a nossa maneira de os tratar, conseguiremos resolvê-los ou não!

Omraam Mikhaël Aïvanhov


... Em mim, o curativo...


Foto: Aleh

Sempre fugi dos espinhos,
por medo de me machucar.
Quando acontecia de me ferir,
injuriava-me, me revoltava, remoía,
procurava me afastar...

Hoje, se/quando me firo,
deixo escorrer o sangue
e o ferimento cicatrizar.

Compreendo que sou suscetível,
mas que, sou eu que o permito;
[me ferir e machucar].

Busco em mim o curativo,
[a condição para me curar]
a fim de não me doer/remoer,
nem me desequilibrar.

Usee

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

"As Leis da Natureza" - Omraam Mikhaël Aïvanhov


Foto: Usee

"A Natureza estabeleceu leis e, se nós as transgredimos, ela pune-nos. A Natureza é uma boa mãe, mas muito severa.

Alguns dirão: «Mas nós não temos essa imagem das mães. Pelo contrário, uma mãe é terna, amorosa, indulgente. É do pai que vem a severidade.» Não observastes nem refletistes bem.

Qual é o papel de uma mãe em relação ao seu filhote? Ela alimenta-o, claro, mas ensina-lhe, logo que possível, o que ele deve ou não fazer para se desenvolver corretamente; ela ensina-lhe regras de alimentação, de higiene, de prudência; por vezes, priva-o ou retém-no: impede-o de se aproximar demasiado do fogo e da água, tira-lhe das mãos os fósforos e os objetos cortantes, esconde as guloseimas e a compota se ele tem tendência para abusar delas.

Por vezes, ela deixa-o agir até um certo ponto, mantendo-se vigilante, e, se ele cai ou se magoa, ela diz-lhe: «Estás a ver? Não voltes a fazer isso, senão irás magoar-te de novo.» E, quando ele ultrapassa mesmo os limites e é caprichoso, ela castiga-o.

Este papel da mãe em relação à criancinha é, num outro plano, o da Natureza em relação ao ser humano."

Omraam Mikhaël Aïvanhov



Entendimento... I


Foto: Usee

Não é o caso de aceitar
um nível ou estágio,
de consciência e aprendizagem,
e então acomodar.

Mas é necessário reconhecer
que existem níveis e estágios,
sobre os quais é preciso trabalhar
para melhorar, avançar, evoluir...

Hoje tenho este entendimento! 
E ele vem do meu sentir 
ciente, vigoroso e profundo...

Usee


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Disposição, exigência fundamental...


Foto: Usee

A disposição para silenciar, meditar e orar
só constitui um estado de entrega,
na medida em que abrange 
minha mente e meu coração,
alterando a trajetória dos meus
pensamentos e sentimentos
e, consequentemente,
de minhas atitudes e comportamento.

Por outro lado, é através da disposição 
para alterar a rotina a que estou submetida
que reservo tempo para o trabalho interior;
de harmonizar pensamento e sentimento,
para me fortalecer e determinar... 

Disposição! 
Esta é a exigência mais fundamental a que devo atender,
diante da escolha e do propósito de estar no caminho.


Usee


O QUE ESPERAR - ArqueiroHur




O QUE ESPERAR

Se "eu sei"
(está em mim, a vida me mostrou, eu vi e mais...)
que não há escalada sem pedras e muros,
ou cume sem montanhas;
nem caminho sem passos
ou gelo sem água...:

O que me leva a "crer e a esperar"
que tudo se dará
(a 'elevação', o crescimento e 'um destino prazeroso')
sem o meu esforço, entrega
e dedicação?

Será que é por "saber também"
(já ter ouvido falar)
que a misericórdia Divina e o seu AMOR
atingem a TODOS,
sem abandonar ou esquecer a ninguém?...

Hum......
Esta resposta só quem pode obter
é você com você mesmo.
Pois qual a seja,
ela está aí,
bem dentro de você.



Eu,
particularmente tenho o entendimento,
de que só posso esperar por algo,
vindo da LUZ,
que seja fruto dos meus passos,
do meu esforço, da minha determinação
e que esteja de acordo com a VONTADE Divina.
Porém, tenho a consciência de que possuo
o direito e a liberdade da escolha
de "crer e esperar" o que bem entender.
ArqueiroHur




Encontros e desencontros...reconhecemos sua razão de ser?


Google imagem: encontro se desencontros - by cluracan

Temos imensa facilidade em encontrar pessoas, trazê-las para nossas casas, para nossas vidas, colocá-las “a par” de nossa intimidade... para, em seguida, desencontrá-las (desencontro que muitas vezes cuidamos em promover).

Muitas vezes, e de forma precipitada, nos relacionamos afetiva, sexual e/ou culturalmente (aqui na forma mais corriqueira), sem ao menos conhecê-las minimamente, mesmo na superficialidade que nos cabe conhecer (Sim! Porque nunca teremos um conhecimento profundo dos outros!).

Talvez por isso, quando estas invadem nossa dita “privacidade” ou nos julgam e rejeitam em algum aspecto do nosso “jeito de ser” e viver, nós as afastamos. Talvez por isso, ao menor tropeço destas para conosco as julgamos e rejeitamos.

Podemos até dizer que perdemos o encanto (inicial) ou nos decepcionamos, motivo pelo qual nos afastamos. Podemos! “Cada um é cada um”! Mas não é este o motivo real!

Fato é: cada pessoa com a qual nos deparamos e convivemos no mundo nos faz ver algum aspecto negativo ou positivo em nós próprios; aspectos que temos ou não consciência, que reconhecemos ou não como nossos; que nos dizem respeito.

De uma forma ou de outra, acabamos por nos distanciar destas pessoas, mantendo-nos “em separados”, mesmo aquelas que “nos agradam” (segundo nosso querer, interesse e conveniência) e com as quais desenrolamos alguma relação mais duradoura.

Se somos incapazes de perceber a razão de ser da presença ou passagem dos outros em nossa vida, com ou sem precipitações, é porque (ainda) mantemos e aceitamos a lógica pragmática e volátil do mundo em que vivemos e que nos moldou...

Quando, porém, entendemos que a razão de ser da presença das pessoas em nossa vida (com o que produzem e geram), é auxiliar-nos na passagem por este mundo, servindo no processo de aprendizado, revisão e purificação interior, damos passos importantes no sentido do que nos cabe; essencial e espiritualmente.

Usee

domingo, 9 de dezembro de 2012

"Domínio próprio"


Foto: Usee

Não joeires a todos os ventos
Não caminhes por qualquer caminho,
pois é assim que se revela a linguagem dúbia.

Firma-te no Caminho da Verdade,
na sinceridade de teus sentimentos 
e de teu entendimento.

Nunca te afastes de uma linguagem 
pacífica e equitativa.

Escuta com doçura o que te dizem 
a fim de compreenderes;
darás então uma resposta sábia e apropriada.

Se tiveres entendimento responde a outrem, 
senão põe a mão sobre a tua boca, 
para que não seja surpreendido 
ao dizer uma palavra indiscreta [...].


[“DOMÍNIO PRÓPRIO” – Eclesiástico, 5.11...]

... temos "um" verdadeiro entendimento...?



Foto: Aleh

Falamos tanto sobre verdade, sabedoria, amor, simplicidade... 

Mas, nos apercebemos e  compreendemos o que significam?

A começar pela VERDADE, temos real entendimento do que seja e onde reside?

Sabemos reconhecer, colher e acolher Seu significado, observando-o e nos deixando guiar por ele?

Nos mantemos atentos e nos examinamos, a fim de saber se o estamos fazendo?

Foto: Usee

A VERDADE nos é dada e revelada pela Criação!

CADA SER A REVELA, PORQUE A TRAZ EM SI!

Quando “A” alcançamos, cabe manifestá-la e refleti-la aos outros..., o que deve ser feito através de nossas atitudes e ações...


Se/quando não somos capazes de fazê-lo é porque estamos distantes Dela, ainda que a façamos presente (e recorrente) em nossas falas/discursos.

Tenho para mim que a Verdade, assim com a Sabedoria, o Amor e a Simplicidade, não cabem em palavras (discursos) ou conceitos do mundo (filosófico, cultural, até mesmo religiosos - destes por vários motivos), nem podem ser compreendidos aí...

Usee



quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

A fuga e o que ela revela...


Google Imagem

A fuga, própria do ser humano, revela e reflete a dificuldade e, porque não dizer, o “medo” que temos de olhar para dentro de nós mesmos, de examinar-nos, ali, onde somos “de verdade”...

Quero dizer, positiva ou negativamente, a depender da vibração em que nos encontramos e/ou nos deixamos ficar...

O exame, e não a fuga, é o que nos pode revelar de dentro para fora, dizer “quem” e “por que” somos como somos; nosso “modo” de ser e estar no mundo...

É óbvio e inegável que a descoberta interior implica e demanda consciência e entendimento sobre si; sobre que se é, sobre estar aqui, ... E depois, o caminho a seguir e a consequente escolha...

Usee


Sim!...Seria. - ArqueiroHur




                   Sim!... Seria.

                   Sim! Seria tão mais fácil:
                   Não "VER"..., não "FALAR"..., não "OUVIR".
                   Me esquivar!
                   Doeria menos...

                   Negar o meu "sentir",
                   fingir...

                   Olharia mais para mim, 
                   para o meu querer gostar.
                   Teria "mais aqui"!
                   Seria "melhor"...
                   Aproveitaria as "oportunidades"!

                   Mas e EU, o MEU SER, onde ficaria?
                         ArqueiroHur

http://arqueirohur.blogspot.com.br/




domingo, 2 de dezembro de 2012

"A verdadeira compreensão" - Omraam Mikhaël Aïvanhov


Foto: Aleh

O Universo é um grande corpo com o qual nós devemos aprender a harmonizar-nos, pois nesta harmonia todos os bens estão incluídos: a saúde, a alegria, a luz, a inspiração.

Aquele que trabalha para realizar tal harmonia começa a sentir que todo o seu ser vibra em uníssono com o universo e compreende o que são a vida, a criação, o amor…

Mas não antes. Antes, é-lhe impossível compreender.

Intelectualmente, exteriormente, pode-se sempre imaginar que se compreende alguma coisa; mas não, a verdadeira compreensão não se faz por intermédio de algumas células do cérebro, faz-se por intermédio de todo o corpo, mesmo dos pés, dos braços, do ventre, do fígado… Todo o corpo, todas as células devem compreender.

A verdadeira compreensão é uma sensação. Vós sentis e, nesse momento, compreendeis e sabeis, pois experimentastes.

Nenhuma compreensão intelectual pode comparar-se à sensação.



Terça-feira 10 de Abril de 2012




O que refletimos...?


Foto: Usee

Enquanto não reconhecermos que nossa personalidade; que nosso jeito de ser e agir, são reflexos do que o mundo produziu e conservou;

Enquanto não percebermos que nossas ações e reações, atitudes e comportamentos, não traduzem a integridade, Luz, Verdade do nosso Ser... 

Estaremos refletindo as marcas, mágoas e traumas que estão em nós (nossa densidão interior; sombra), mas que não  reconhecemos e/ou admitimos.

Cabe-nos a responsabilidade e o compromisso de “ser” efetiva, digna e integralmente segundo nosso Ser, a fim de refleti-lo...

Para tanto, é preciso reconhecer onde estamos, quem e o que somos, nossas fraquezas e culpas, a fim de promover uma restauração interior, contínua e profunda...

Quando isto acontecer, tudo, que diz respeito ao mundo humana e materialmente construído e que nos faz espiritualmente tão pequenos, deixará de ter importância e pesar sobre nosso Ser...


Usee

Aprendizagem ou apenas uma etapa...?


Google Imagem

Pessoas, situações, acontecimentos,
ora iniciam, ora encerram
uma etapa em nossas vidas.
Ora magoam e desequilibra.
Ora iluminam e eleva.

De uma forma ou de outra,
dão-nos a oportunidade
de aprendizagem,
entendimento e reparo.

Entretanto, é preciso estar aberto e atento
para aprender, entender e reparar-se...
Do contrário, será apenas mais uma pessoa,
situação ou acontecimento em nossa vida;
será apenas uma etapa qualquer...

Usee