sábado, 31 de março de 2012

MEUS FILHOS NÃO ME ABANDONEM... - MÃE TERRA



MEUS FILHOS NÃO ME ABANDONEM...
- MÃE TERRA -

AS DORES QUE VÓS SENTIRES,
EU SINTO TAMBÉM.

COLOQUEM SUAS MÃOS SOBRE MIM, 
CONECTANDO-SE,
SOU TAMBÉM A GUARDIÃ DOS SEUS CORPOS 
ENQUANTO AQUI 
E DEPOIS, 
FICO COM UMA PARTE 
QUE ABSORVO COM AMOR, UNIFICANDO JUNTO A MIM.

MEU SOLO É SAGRADO, 
POIS CARREGA O FLUXO VITAL
DE ENERGIA DA DIVINA LUZ.
DEVEMOS SER, ESTAR LIGADOS NOS SENTIDOS.

PEÇO COM AMOR E RESIGNAÇÃO 
QUE NÃO ME ABANDONEM.
ANCOREM-SE JUNTO A MIM, 
NESTA TROCA DE ENERGIA 
QUE FLUI DOS NOSSOS CORAÇÕES.

TENHAM CONSCIÊNCIA 
DE QUE NÃO SOU A RESPONSÁVEL PELAS "PERDAS", 
E SIM AS CONSEQUÊNCIAS DAS IMPRUDÊNCIAS 
DE SUAS CONSTRUÇÕES INDEVIDAS E
POLUIÇÃO DESMEDIDA.



NÃO ESTOU MAIS EM SUAS MÃOS.
A PROVIDÊNCIA DIVINA CUIDARÁ DO TODO.
PORTANTO, LEVARÁ “AO TEMPO” 
À QUE SE FAZ NECESSÁRIO.

NÃO OS AMO MENOS POR ISSO MEUS FILHOS.
TIRO-LHES TODA A CULPA, 
MAS PEÇO-LHES QUE ME ACEITEM
E TREBALHEM JUNTO A MIM, 
NO COMBATE AS "PRAGAS" 
QUE INVADEM MINHA SUPERFÍCIE. 
NÃO PERMITAM QUE ‘ELES’ 
APAGUEM VOSSAS LUZES.

POIS, SE ESTOU DOENTE, 
VÓS ESTÁIS COMIGO.
E A CURA LOGO VIRÁ.
A PROVIDÊNCIA DIVINA NUNCA FALHA.
E NÃO TARDARÁ.

É HORA DO CUIDAR.
E GRANDE ENERGIA DE LUZ AQUI FORMATAR.
A FIM DE AUXILIAR NESSA BENDITA "REFORMULAÇÃO".

DE MÃE TERRA.

Por Luz Da Alma, em 27-03-12
Publicado em 29.03.2012 por:
http://arqueirohur.blogspot.com.br


"Sou" a Luz do Meu Ser

Google Imagem



Quando sou consciente e sincera
(comigo e com os outros),
vejo e revejo meus atos.

Quando me revejo (de verdade),
curo-me dos meus remorsos e medos,
cuido-me; me mantenho atenta e ciente.

Liberto-me das minhas correntes,
entrego-me a Verdade do meu Ser;
ilumino-me em sua Luz 
e "sou" a Luz do meu Ser.


 Usee



sexta-feira, 23 de março de 2012

a Verdade se revela, a Luz se mostra


Google Imagem


A Verdade se revela, 
a Luz se mostra a toda Criação.

Toda Criação prova da Luz e da Verdade
e abre para a pertença Destas.

Nós, como parte (indivisa) da Criação, 
as sabemos: pelo sentir, pelo coração, pela consciência...


Mas, muitas e muitas vezes as ignoramos, ou nos afastamos e as negamos.


Usee



terça-feira, 20 de março de 2012

A ignorância...


Google Imagem
 

A ignorância é um véu que nos separa de nosso Ser.

Quando nos mantemos no caminho da ignorância nos afastamos de nossa Verdade interior.

Por ela somos levados ao alheamento e à inconsciência...

Google Imagem


Por ela nos deixamos prender a valores e padrões, a mantê-los e a manter-nos alienados ao mundo e às coisas do mundo e seus valores.

Usee


domingo, 18 de março de 2012

Sobre o sábio

Google Imagem



      Sábio é aquele
que consegue ver com profundidade
que consegue perceber os nexos,
e se vale disso
para entender melhor o mundo,
e viver melhor,
segundo seu entendimento.

Usee
 

Publicado originalmente em 1º de Janeiro de 2012 em http://arqueirohur.blogspot.com.br



Sobre a "igualdade unilateral" - Um depoimento

 
     
Igualdade! 

Sabe que esta noção nunca esteve muito presente em minha vida e falas? É..., pensando bem sobre, me dou conta de que esta nunca foi nem nunca esteve muito bem resolvida aqui dentro de mim. Talvez por isso não seja assunto caro em meus escritos.

Esta “noção” nunca me disse muito. Aliás, esta e outras que a implica, nunca me causaram comoção, admiração, assim como nunca me despertou para um impulso de “luta pela igualdade”, por exemplo. Ceticismo? Será? 


 O que penso é resultado do que observo, do que tenho experienciado, do que tenho tomado conhecimento, de várias maneiras. E a igualdade, para mim, nunca conseguiu sair do discurso (em todos os tempos, e mais especialmente na modernidade e contemporaneidade, provocou muitos filósofos e muitas filosofias – as mais variadas). Os vários discursos sempre estiveram encerrados no campo da idealidade (a igualdade é ideal, é bonito pensar e falar dela!), e sempre permeou toda e qualquer reivindicação, e o desejo de todo mundo (de toda gente). 


Homens, Mulheres, instituições, governos, etc., todos engrossam a fila dos que “lutam” e “buscam” a igualdade, mas, não conseguem ultrapassar, sair do “discurso”, ou como se diz, “a igualdade não sai do papel”. Na prática, a igualdade não existe!

Resolvi escrever sobre isto porque fui instigada... Precisava refletir e registrar o refletido (coisa minha... rss). 


Dia desses estava a conversar com um amigo, esbarramos na questão da igualdade. Foi quando ele me falou da noção de “igualdade unilateral”. Ao escutá-lo fiquei pasma, em silêncio, sem jeito até, diante da ênfase que ele imprimia ao dizer o que significava. 


Enquanto o escutava me perguntava: que coisa! Como pode uma igualdade unilateral, uma vez que a unilateralidade por si só exclui a igualdade?... Como pensar uma e outra, sem ficar tonta e abismada?... Pois foi isto que me aconteceu, fiquei tonta e abismada! Mas o escutei (e tenho escutado)... Logo “caiu a ficha”, tive que concordar com o dito!... Claro que ele tem razão!
  
O que me desconcertou inicialmente me levou a refletir... Desde então, tenho procurado “rever meus conceitos”, o da igualdade especialmente, ainda que este não seja foco de minhas falas e reivindicações.


Todos nós estamos impregnados de conceitos concebidos culturalmente, e fazemos destes nossas verdades. A força com que eles incidem sobre nós parece ser irreversível pela forma como estão incrustados; determinando nosso “eu”, tanto que os tomamos como verdade (como nossa verdade) e os colamos em nós como uma segunda pele, e os repetimos automaticamente (feito autômatos); sem jamais pensar em seu significado. Talvez por isso estranhou-me escutar a idéia de “igualdade unilateral”.     


Não me lembro de ter deixado me atrair ou levar pela ideia de igualdade (fora da erudição acadêmica, quero dizer), pelo menos não de forma enfática. Voltando atrás, constato que são as idéias de desigualdade/diferença que marcam nosso modo de pensar.

Volto a perguntar: ceticismo? Pessimismo?...

Não! Nem um pouco! Na prática, é o que vivencio, é o que todos vivenciam a revelia do discurso. E é por aí que me foi possível considerar a noção de “igualdade unilateral”. Efetivamente o significado/sentido desta tem a ver com a falta de prática da tão discursada igualdade.
   
Sim! Muitos falam e a reivindicam sem, contudo, se dispor a praticá-la.

Segundo a noção da igualdade unilateral, a unilateralidade reside no fato de que aquilo que penso e espero (e cobro) ser “igual” “serve” só a mim, naquilo que me interessa, e diz respeito à “obrigação” que suponho que o outro deva ter para comigo, sem que eu, do meu lado, me obrigue a ter para com ele. 


Não preciso dizer que esta condição está sempre bem explicita nas várias relações e relacionamentos, gerando desentendimentos, conflitos, rupturas... desigualdade.  

   
O “pretexto” da igualdade sempre esteve e sempre vai estar aí, marcando e permeando nossa vida, sem que esta faça muito efeito, ou sem produzir o efeito que verdadeiramente ela exige. Somos hipócritas o bastante para fazer do pretexto da igualdade a “aparência” da nossa vida, e desta, o “móvel” das nossas relações e ações. De nós, além do discurso, nenhuma intenção de nos propor a rever-nos e por em prática o que falamos.
    
É mais fácil estar encobertos, protegidos, atrás de um discurso, do que admitir que não somos capazes de ser o que dizemos ser e fazer o que é preciso fazer. 
   

Há hipocrisia o bastante para nos mantermos sob o véu da igualdade sem, no entanto, admitirmos que não há outro caminho senão o da “consciência de ser e estar” (como diz meu amigo). Só por esta via a igualdade deixará de ser unilateral e sairá do discurso.

Usee

Publicado originalmente em 31 de Dezembro de 2011 em http://arqueirohur.blogspot.com.br



sábado, 17 de março de 2012

Tempo...tempo...o que será o Tempo?



Será que “meu tempo” é meu
 Que fui eu que o criou?
Ou será que o penso meu
Porque ele me negou?

Será o tempo um instante
Do tempo que eu perdi?
Ou será o tempo em questão
 O que passou, que não vivi?

Acaso não é o tempo,
Um momento que se guardou?
Ou tempo é o futuro,
De um tempo que se findou?

Como fica o tempo passado
Que o presente renegou
Será apenas um “fato”
Que o tempo presente cessou?

E como fica o tempo,
Que a “falta de tempo” mirrou?
Virá a tempo, com tempo
De rever o que se negou?


  
Ilude-se muito quem pensa
Que no tempo certo o tempo vem
Para ser e fazer  “em tempo”
Num tempo que não é de ninguém.

[Poema Comum]

http://unsversosqueescrevo.blogspot.com.br
Direito Reservado

sexta-feira, 16 de março de 2012

Não estamos aqui por acaso...


Google Imagem


Vimos ao mundo – neste estado/condição atual – vazios, como tabulas rasas, CERTO? 

É o que pensamos. É o que fomos levados a pensar!

Mas não estamos aqui por acaso, nem viemos vazios ou puros...! 

Há uma tarefa a cumprir... 
Há um caminho a tomar e há um caminho a seguir... 

Estamos aqui para aprender. E o que é para ser aprendido vai-nos sendo mostrado enquanto aqui estivermos.

Então, convém viver ao acaso ou conduzidos por nossas vontades?

Devemos viver única e exclusivamente para alcançar os objetivos que traçamos e realizar os ditos sonhos que temos?
Devemos querer ter o controle de tudo e sobre tudo?

Não! Óbvio que não! 
[Mas há quem pense que sim e quer que seja assim – a grandessíssima maioria das pessoas pensa e quer assim]

Google Imagem

É preciso que estejamos atentos para perceber o que nos é apontado em cada situação, em cada acontecimento, experiência ou vivência.

Devemos aprendemos; tirar uma lição,  a partir de tudo. De cada aprendizado é preciso tirar o que é preciso, sobre o que é preciso rever, sobre o que é preciso realizar.

Usee


quinta-feira, 15 de março de 2012

Nossas atitudes e ações...


Google Imagem


Nossas atitudes e ações,
quando dirigidas pela ignorância e falta de sinceridade*,
nos afasta de nosso Ser.

Decorre daí, arrogância, vaidade, egoísmo...
A atitude de julgar, rotular, discriminar...,
que praticamos, sem assumir que é assim que acontece... 

Diferentemente, quando dirigidas pela consciência e pela Verdade,
nossas atitudes e ações evidenciam quem  e como verdadeiramente somos...



Atuando pela consciência nosso modo de ser passa a ser outro... 
E deve ser bem outro...!

Que tenhamos em mente:

Além de escolher, 
é preciso determinação para viver segundo o Ser,
é preciso determinação para viver segundo a Luz e a Verdade, 
e é preciso escolha e determinação para, efetivamente, nos deixar governar pela Vontade Divina...
Usee


* Muitas vezes, a ignorância é que determina a falta de sinceridade, outras vezes são os hábitos e manias a determiná-la... Ambas incidem em nós feito uma bola de neve, mas raramente dos damos conta disso, são os de fora a perceber...e quando o fazem, antes de olhar-nos mais atentamente por dentro, nos julga e rotula... Não adianta, faz parte do padrões do mundo ( tão bem introjetamos em nós), o ato de julgar e condenar antecipadamente (por mais que negamos assim é que acontece).



quarta-feira, 14 de março de 2012

A sombra é energia que envolve, é ilusão que seduz...




A sombra é ilusão
Manifesta-se na ilusão e pela ilusão
É energia que envolve
Usa todos os contornos, todas os meios, todos os caminhos...
Leva-nos a nos mover pela ignorância
Incita-nos ao erro, a afastar-nos da Luz, da verdade
Interpõe-se em nossas atitudes e ações
Por ela, somos atraídos, persuadidos ou dissuadidos, muitas vezes...

A ilusão puxa, seduz
Subtrai consciência,
Alimenta a ignorância
Tira-nos do eixo
Desvia-nos do nosso Ser...


Então...

É preciso romper com tudo (isso) que nos afasta de nosso Ser!!
É preciso escolher ser segundo o nosso Ser!
É preciso que saibamos acolher a Luz e a Verdade...!



Que a Vontade Divina dirija nosso destino! 

Que a Luz Divina Ilumine nosso caminho!

Que a Verdade Divina se evidencie em nossa consciência!

Que a sabedoria Divina flua em nosso entendimento...!

Que assim possamos voltar ao nosso Ser,

E viver segundo a Luz e a verdade...

AMÉM!
[Usee]

  

segunda-feira, 12 de março de 2012

Recorde-se do AMOR! - Um manifesto


Recorde-se do AMOR!


Sim!
Você foi 'forçado' a não lembrar do AMOR da CRIAÇÃO.
A se sentir e se ver sozinho...
Por vezes desorientado em razão do que o "mundo ao seu redor" dizia e diz ser o certo.
Se contrariou, se magoou e em muitas ocasiões se negou...

É, de tudo isto, você se recorda...

Agora, faça um tratado com você mesmo, um manifesto onde:

- Procure 'lembrar-se' de quantas vezes você foi acarinhado.
- Em quantas ocasiões você foi amparado e protegido.
- O quanto de oportunidades você teve para aprender...

Ah!... Não vale ficar falando que não teve 'seus desejos' atendidos, tá?!...

Apenas procure se lembrar dos 'momentos' em que pode "sentir" este AMOR. Ele está aí!...
No canto de um passarinho, no abraço de um amigo, no olhar de um cachorro, no perfume de uma flor, no sorriso de uma criança...

Esqueça um pouco a "sua vida", suas questões e desgostos, suas frustrações e mágoas.
Olhe o nascer ou o pôr do sol... Relembre o som de uma cachoeira... O "silêncio" da mata, com o vento soprando e as folhas dançando na sinfonia da vida.

Sinta este pulsar em você!




O esplendor de uma 'lua cheia', a sincronia das ondas do mar, a beleza desta Terra!

Tire um 'tempo' para você. Você faz parte de tudo isto. VOCÊ SENTE!
Faça isto todo dia. Demonstre este AMOR por você mesmo!
Louve a Criação recordando-se Dela! Sendo Ela. Sendo este AMOR!

Trate-se com ternura, ao menos dentro deste tempo. TENTE!... Você sabe o que é ternura, ser leve, fluido. Tudo está aí dentro. Deixe-se SER!

Este é um manifesto simples. Nele você não deve 'pedir nada', nem a ninguém; apenas deve recordar-se de tudo o que a Criação já lhe ofertou e SENTIR-SE FRUTO DELA. AMADO!

Não o 'amor humano', de alguém; de posse, de desejo. Não!... SINTA-SE AMADO por aqui estar, neste planeta, perante toda esta exuberância que a Criação ofertou!

Que o Amor Divino se perpetue em cada ato de sua vida.


ArqueiroHur


Copiado de  http://arqueirohur.blogspot.com.br




sábado, 10 de março de 2012

A LUZ tudo vê! A VERDADE tudo sabe!

*


A LUZ tudo vê!”

A VERDADE tudo sabe!





Não adianta “fazer de conta”! Não adianta fazer-nos de sinceros, justos, solidários, sermos aparentemente íntegros nas atitudes, aparentemente corretos nas ações... 

Não adianta forjar ser o que não somos - como não somos de verdade...!!

Quando temos consciência, quando rompemos (ou procuramos romper) com a ignorância, não existe mais lugar para “jogo” ou fingimentos, não existe espaço para viver a e de aparência...

E se temos a consciência de nosso Ser,  e se nos deixamos conduzir pela Luz/Verdade, não nos deixamos corromper pelas "facilidades" que o mundo oferece, não nos deixamos conduzir por seus padrões. 

As ilusões  do mundo são abandonadas, perdem a força que tem sobre nossa "vontade” e sobre nosso “querer”.

Quando escolhemos, quando “nos deixamos conduzir” pela Luz/Verdade, sentimos o efeito desta condução, sentimos e deixamos a Vontade Divina nos governar, somos acolhidos no conforto do Universo, junto ao Todo...


Então,

Por que teimamos em nos apartar deste conforto?

Por que insistimos em violentar nossa consciência; nosso Ser, e nos deixamos automatizar, mecanizar, governar...?

Por que insistimos em nos deixar governar pela força externa
(pela força do mundo – da sombra – pela ausência de Luz e Verdade)?

Por que nos apartarmos da LUZ e da VERDADE?


Usee



terça-feira, 6 de março de 2012

O acesso do Ser...



A consciência se manifesta (também) pela forma de “olhar”, como se “ver”, pelo que se ver no ato olhar (sentir).

Olhar “além da aparência” (ver além da aparência) é perceber "o sentido” – a razão de ser de cada coisa – é perceber e sentir sua essência, é perceber e sentir a eternidade da essência expressa na aparência singular e efêmera.



É pela essência que o Ser se evidencia, mostrando à consciência!

É pela essência que o Ser se comunica e expressa a Natureza Divina!


Quem se volta para a essência transpõe o limite da aparência e acessa o Ser. Através do Ser compreende o Todo e compreende-se como parte do Todo; como parte importante e necessária de Sua tessitura.

[Usee]



domingo, 4 de março de 2012

Quando a "energia" é Luz...

Google Imagem


Padrões, aparências, hábitos, manias, arrogância, mentira, egoísmo, etc. Tudo isso é sombra! 

É a “energia” da sombra dando vigor a nossa ignorância, vendando-nos os olhos (da alma, do coração), distanciando-nos do (nosso) Ser; da Luz e da Verdade.




O Ser sente, mas não esmorece. Pois se sustenta e vigora na/pela ENERGIA que a tudo põe de pé, consoante com a Vontade do Criador.



ESTA ENERGIA é LUZ, é VERDADE

Incide sobre a consciência e dissipa a ignorância... É
a força que nos coloca de pé... Assim sendo, cabe-nos, pelo sentir e pela consciência, a escolha e entrega...


Usee