segunda-feira, 12 de março de 2012

Recorde-se do AMOR! - Um manifesto


Recorde-se do AMOR!


Sim!
Você foi 'forçado' a não lembrar do AMOR da CRIAÇÃO.
A se sentir e se ver sozinho...
Por vezes desorientado em razão do que o "mundo ao seu redor" dizia e diz ser o certo.
Se contrariou, se magoou e em muitas ocasiões se negou...

É, de tudo isto, você se recorda...

Agora, faça um tratado com você mesmo, um manifesto onde:

- Procure 'lembrar-se' de quantas vezes você foi acarinhado.
- Em quantas ocasiões você foi amparado e protegido.
- O quanto de oportunidades você teve para aprender...

Ah!... Não vale ficar falando que não teve 'seus desejos' atendidos, tá?!...

Apenas procure se lembrar dos 'momentos' em que pode "sentir" este AMOR. Ele está aí!...
No canto de um passarinho, no abraço de um amigo, no olhar de um cachorro, no perfume de uma flor, no sorriso de uma criança...

Esqueça um pouco a "sua vida", suas questões e desgostos, suas frustrações e mágoas.
Olhe o nascer ou o pôr do sol... Relembre o som de uma cachoeira... O "silêncio" da mata, com o vento soprando e as folhas dançando na sinfonia da vida.

Sinta este pulsar em você!




O esplendor de uma 'lua cheia', a sincronia das ondas do mar, a beleza desta Terra!

Tire um 'tempo' para você. Você faz parte de tudo isto. VOCÊ SENTE!
Faça isto todo dia. Demonstre este AMOR por você mesmo!
Louve a Criação recordando-se Dela! Sendo Ela. Sendo este AMOR!

Trate-se com ternura, ao menos dentro deste tempo. TENTE!... Você sabe o que é ternura, ser leve, fluido. Tudo está aí dentro. Deixe-se SER!

Este é um manifesto simples. Nele você não deve 'pedir nada', nem a ninguém; apenas deve recordar-se de tudo o que a Criação já lhe ofertou e SENTIR-SE FRUTO DELA. AMADO!

Não o 'amor humano', de alguém; de posse, de desejo. Não!... SINTA-SE AMADO por aqui estar, neste planeta, perante toda esta exuberância que a Criação ofertou!

Que o Amor Divino se perpetue em cada ato de sua vida.


ArqueiroHur


Copiado de  http://arqueirohur.blogspot.com.br




Nenhum comentário:

Postar um comentário