domingo, 22 de abril de 2012

Corremos...para que?



Estamos sempre esperando retorno do que fazemos ou empreendemos. Vivemos em função deste movimento: fazer algo, esperar retorno, usufruir... E isto em todos os sentidos, pessoais ou não.

Além disso, é comum falarmos: “estou perdendo meu tempo”, “perdi meu tempo”, “foi tempo perdido”, “não vou perder meu tempo”, quando algo que fizemos ou algo em que estivemos envolvidos não nos rendeu o esperado ou não atendeu as nossas expectativas.

Corremos, corremos..., nos perdemos de nós mesmos em função de sonhos, planos, projetos..., entregamo-nos a uma luta desmedida em vista do “futuro”, do “conforto” e bem estar...

E para que?

A soberba nossa de cada dia nos impede de olhar além do nosso “mundo” e perceber os acontecimentos e as mudanças que tem ocorrido e estão ocorrendo (em todos os sentidos), inclusive em nós próprios.

Obviamente que temos mudado, e muito!

Nosso comportamento, nossas atitudes, nossos sonhos e projetos fazem “coro” ao “status”, à conjuntura, ao contexto, ao modismo..., “o que somos” vai sendo levado "pela maré" da “voga”...Admitamos!!

Reconhecemo-nos em meio a tudo isso?
Damos conta de nós mesmos no meio disso tudo?

O caminho a tomar é outro!

Que nossa consciência possa ser despertada, afim de que voltemos para nosso Ser e tomemos distância do que nos aparta de nós mesmos!

Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário