sábado, 28 de abril de 2012

O QUE SOU?


                                                        Google Imagem

Sou, em meu imaginário (no meu dia a dia...), aquilo que, referido a mim, me fez ou faz conhecida e reconhecida: jeito de ser, profissão ou atividade, papel social, etc.

Assim, quando alguém pergunta: “quem é você?” ou quem é “fulano/beltrano?”, a resposta é sempre no sentido do que em nós é “acessório”...

É por aí que “sou” quem (ou o que) penso ser... (é por aí que pensamos...).

Em geral, “somos levados” a projetar o que queremos ser, muitas vezes chegamos a ser “o que” (ou segundo o que) projetamos ser – e isso nos envaidece e assoberba.

Este acessório pode ser (ou é) aceito, total ou parcialmente. Daí as noções de integridade, beleza interior, moralidade, competência, determinação, etc. que nos conferem e que infla nosso ego (ou produz efeito contrário, quando o inverso nos é conferido).

Este modo/jeito de “ser” adere/cola tanto ao nosso eu, que acaba por nos “determinar” para nós mesmos e para os outros. Porém, nada mais é que uma incorporação proposital, eventual, acidental, que não “diz” ou “traduz” absolutamente “o que” sou ou “quem” sou de verdade.

É por aí que sou “vista”, valorizada (ou não), respeitada (ou não), avaliada, julgada, etc. É por aí que me “afirmo” e também me reconheço no mundo e diante dos outros.

Mas, O QUE SOU?

SOU, em (e) na verdade, o meu SER!
 [Esta é uma “tecla” em que teimo “bater”]



Uma vez “desperta”, a partir da consciência que adquiro, devo reconhecer-me e fazer-me reconhecida em meu Ser (e a partir Dele).

Por que então não o faço?

Por que não me reconheço “no” e “a partir” do meu Ser?

Por que insisto em me manter segundo os padrões, determinações, conformações e conveniências “acessórias” do mundo?

· Primeiro porque “me permito” ser na aparência o que não sou em essência. Por aí me encobrindo e distanciando de minha Natureza.

· Segundo porque “me recuso” a sair desta condição, me recuso a rever-me, a fazer o caminho de volta... Por aí me mantenho distante do meu Ser...

Ou seja,

Permaneço ignorando meu Ser, ignorando minha Natureza e Essência, e deixando de realizar o que devo realizar e de viver segundo a Luz/Verdade do meu Ser.
Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário