quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ignorância...


Onde reside o Sentido (Essência), que o homem encerra e busca “sobre” si?

Acaso, fora de si?

Acaso numa única existência?




Só o homem interroga sobre sua razão de ser; Sobre o “por que” e o “para quê” de sua existência. Em busca de resposta(s), esbarra naquela que constitui a “realidade” mais insondável e indemonstrável: sua realidade espiritual; o conhecimento de si mesmo; em essência.

Então, perde-se em elucubrações vãs, curiosidades estéreis, suposições indevidas...

É por isso que a partir das vivências e situações que experimenta (experiências) ao longo da vida terrena, vai se movendo entre as constatações e o desconhecido, apesar de afirmar saber, compreender e conhecer o que, só suposta e superficialmente, sabe, conhece e compreende.

Em sua ânsia de entendimento (de saber-se), vai tentando conciliar os polos da constatação e do desconhecido, do revelado e do mistério... 

Entretanto, apesar de desejar “penetrar” o “outro lado”, do sentido/essência das coisas e de si..., mantem-se no horizonte da corporeidade/materialidade, sem reconhecer-se em si.

Assim, vai jogando com a essência das coisas e se perdendo ao colocar-se à parte, na individualidade...

Não percebe a “energia” que o envolve e anula seu Ser, promovendo o não reconhecimento de si e a consequente incompreensão do sentido de sua existência...

O entendimento, a compreensão, não se pode recolher do externo corpóreo/material, das vivências; do “fora de si”. 

Só pelo Ser e pelo “reconhecimento de si” se dá a passagem, o acesso, o entendimento...

Portanto, é dentro de cada um que a resposta e a compreensão devem ser encontradas. 

É por aí que se dá a comunicação da Verdade interior, que a consciência espelha e evidencia como “semelhança” e “unidade” do Todo. OU SEJA, é por esta via que o Ser comunica e dar sentido a existência.

Fora deste horizonte a existência vai permanecer carecendo de sentido, vai continuar encerrada na fugacidade, vai esbarrar na precariedade que a “humanização” e a “formatação” encerram e na impossibilidade do homem saber de si e compreender-se.

Consequentemente, as dúvidas e incertezas, continuarão a assaltá-lo, a vida esbarrará no sonho ou ilusão do entendimento, e esbarrará no que interpõe entre o tangível e o verdadeiro, o relativo e absoluto, a mentira e a Verdade, a Luz e a sombra: A IGNORÂNCIA!

Usee

Nenhum comentário:

Postar um comentário