sábado, 9 de junho de 2012

Reforma interior!?


                                                         Imagem Google

Tem sido uma fala recorrente, entre outras, a de que o homem precisa de uma “reforma interior” (como sinônimo de “reforma moral / de valores”, etc.).

Mas, por si só, uma reforma não limpa, remove ou demove o que está arraigado e fincado, não elimina energias negativas, persuasivas, viciosas, anuladoras, potencializadoras das atitudes que temos, oriundas, portanto, de valores, formatações, hábitos, posturas...

Não o faz (sobretudo) porque põe sobre o “mesmo alicerce” o supostamente bom, novo, belo, moral, justo, etc. (s u p o s t a m e n t e   põe!).



Digo, por que sinto (está em mim como Verdade): 

Nosso interior é íntegro nele mesmo! 

É íntegro porque é habitado por nosso Ser, e este é Íntegro, assim como  Íntegra é sua Luz e Verdade.

Então... Não é de uma “reforma interior” que precisamos/carecemos (que o homem/a humanidade precisa), mas de limpeza e purificação [não só dos valores que nos trouxeram ao ponto em que chegamos e nos fizeram ser “como” somos hoje (ou temos sido até aqui)].



Reformar nosso interior deve significar (e significa!) “limpar”, “sanar”; "purificar-nos" de tudo que produzimos ou que foi produzido, de tudo que efetuamos ou que efetuaram a nós..., de tudo que encobriu nosso Ser e o impossibilitou de se fazer ouvir, de nos conduzir...

Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário