segunda-feira, 23 de julho de 2012

Experiência da PAZ




Hoje, neste dia,
(como já em vários outros dias...)
experimentei uma paz imensa,
vindo de dentro de mim...

Dei-me conta:
este sentimento veio do meu coração,
uniu-me e iluminou meu Ser...
Senti-me muito próxima de Deus
experimentei seu Amor acarinhando
cada uma das minhas partículas.
Senti-me em estado de Amor,
...amada... muito amada!

Ciente deste sentimento,
renovo a escolha de manter-me na entrega
em estado de sintonia, na paz e no equilíbrio,
junto a meu Ser...

Usee


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Sabedoria, Verdade e Luz...



Quem  busca a sabedoria dentro de si, aprende a ser prudente e verdadeiro, modera-se, guarda-se e respeita-se, em relação aos outros e na relação com os outros; sejam eles seus iguais ou seus  diferentes.

Quem sente a sabedoria dentro de si, não a negligencia, sabe-se, reconhece-se como portador de Luz e Verdade... Como tal, não cerceia, injuria, julga, menospreza, manipula ou incita...

Quem caminha com a sabedoria que vem de si, reconhece-se no Todo, sabe-se partícipe da Sabedoria Divina; ciente e consciente do que a reflete. Sente-se sabido, amado, acarinhado e grato em seu Ser...

Quem com sabedoria guarda e mantém a Verdade no/do coração, faz sabê-la a quem de si aproxima, comunica-a com leveza, vagar, clareza, cuidado e integridade, porque faz a si mesmo leve, claro, cuidadoso e integro neste trabalho...

Quem se guia pela sabedoria, nutre-se da Verdade (e somente da Verdade!)... Sabe que a Verdade é Luz, a Ela anseia e a Ela se determina...

Usee


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Transparência...



Acreditamos (e até requeremos esta condição) que é na transparência que está a Verdade do Ser, por si só transparente, clara, evidente...

Por outro lado, cremos que a “aparência engana”; que mascara a Verdade...

Então, cabe a quem afirma "está desperto", a quem o "caminho foi apontado", se permitir levar pela aparência, negando a Verdade do Ser?

obviamente que não! Neste estágio não cabe concessões e permissões à ambiguidade, ao equivoco  da aparência e a inverdade que esta produz...

Portanto, da mesma maneira que os demais Seres são transparentes em seu modo de ser e claros em seu Ser, é preciso que também o sejamos e assim estejamos atentos ao/em sê-lo, para evitar a ambiguidade e equivoco em nosso modo (próprio) de ser...

Mas, é inegável: é pela percepção da ambiguidade (da suposta transparência) e do equivoco (da aparência), que aprendemos e crescemos, que podemos nos rever e determinar nossas escolhas...

Por esta percepção e pela compreensão que ela pode produzir, podemos aprender a escutar nosso coração e nosso Ser, nos rever e estar na Luz; segundo a Verdade que nos é revelada.

Usee


sexta-feira, 13 de julho de 2012




Quando numa relação
o “outro” se mostra 
livre e abertamente, 
faz-se percebido
 sincera e verdadeiramente.
Dar-se a conhecer em seu interior
 e em seu “modo de ser”...


Entretanto, 
quando não há transparência, 
visibilidade e sinceridade,
há dissonância e desencontro...
Não pode haver entendimento,
não se pode dar a conhecer
 (nem mesmo no modo de ser...).

Usee