quinta-feira, 19 de julho de 2012

Transparência...



Acreditamos (e até requeremos esta condição) que é na transparência que está a Verdade do Ser, por si só transparente, clara, evidente...

Por outro lado, cremos que a “aparência engana”; que mascara a Verdade...

Então, cabe a quem afirma "está desperto", a quem o "caminho foi apontado", se permitir levar pela aparência, negando a Verdade do Ser?

obviamente que não! Neste estágio não cabe concessões e permissões à ambiguidade, ao equivoco  da aparência e a inverdade que esta produz...

Portanto, da mesma maneira que os demais Seres são transparentes em seu modo de ser e claros em seu Ser, é preciso que também o sejamos e assim estejamos atentos ao/em sê-lo, para evitar a ambiguidade e equivoco em nosso modo (próprio) de ser...

Mas, é inegável: é pela percepção da ambiguidade (da suposta transparência) e do equivoco (da aparência), que aprendemos e crescemos, que podemos nos rever e determinar nossas escolhas...

Por esta percepção e pela compreensão que ela pode produzir, podemos aprender a escutar nosso coração e nosso Ser, nos rever e estar na Luz; segundo a Verdade que nos é revelada.

Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário