quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Nossa condição no mundo... (nossas marcas, nossos traumas...)



Os traumas e carmas de outras vidas, assim como as desilusões e mágoas desta vida, quando não são limpos, pesam sobre nós, produzem (pelo desequilíbrio interior) a falta de sintonia com o nosso Ser e o distanciamento do Todo! 

[Hoje creio nisto! Hoje compreendo este processo!].


Se desconhecemos esta nossa condição é porque permanecemos na ignorância. 

Porém, se houver alguma compreensão do processo; de como são formados em nós estes traumas, carmas, desilusões e mágoas temos, então, condição de limpá-los, e de nos rever ali, onde tais eventos nos afastam de nós mesmos e anulam nossa sintonia com o Todo.

Mas, estejamos cientes! Só o Universo e o Ser Superior nos conhecem por inteiro! [não sabemos de nós nem dos outros, nem os outros sabem de nós... Isto é fato!]

Só Eles sabem onde fomos maculados/marcados e qual vai Ser nosso primeiro passo e os passos seguintes. Sabem qual serão nossas escolhas, e as respeitarão... Ainda assim, nos dá a oportunidade e entendimento, para que tomemos o caminho certo, consoante ao Plano Divino...



A consequência da nossa condição “neste” mundo material, é uma só: ignoramos e mais ignoramos! 

Sim! Mesmo dizendo-nos e nos querendo a/no caminho, ignoramos! 

Por isso, julgamos, pré-julgamos e nos antecipamos em maus juízos, em relação aos outros, em relação aos eventos, em relação ao que nos cerca (em relação a tudo). Por aí, flutuamos e nos distanciamos de nossa verdadeira natureza, de nosso interior, do Ser, da Criação...do Todo.

Distanciamos e nos arrogamos, requerendo-nos conhecedores do que vai no íntimo de cada Ser... Até poderia acontecer, se não os julgássemos pela aparência [aparência material e imaterial (valores que o mundo produz e que o ego cultiva e sustenta!)]... Se estivéssemos de todo livre da ignorância tal condição não se daria...

A Criação encerra mistério! Todo Ser encerra-se em mistério! 

O outro (todos os outros), mais do que um enigma para nós, vai permanecer fechado em si, revelando de si apenas aquilo que, pelo coração – pelo sentir – captamos...

A condição para que isso aconteça; para que sintamos o Ser? Que estejamos conscientes, despertos e atentos, que o nosso Ser esteja atuando e dirigindo nosso “modo de ser”...

Isto vale também para o que se passa no mundo (seus eventos): o movimento da Mãe Terra, o "modo de ser" de todo ser criado (de cada um de nós, como parte da Criação), as oportunidades que o Universo oferece (que chegam pelo sentir de quem está desperto e atento), as mensagens que chegam (através daqueles que se permitem...), o modo como nos portamos e comportamos (diante dos outros nossos iguais e em relação ao Todo)...

É preciso que estejamos conscientes, despertos e atentos... para ler estes eventos, nas linhas e entrelinhas, e tirar as lições necessárias...


Devemos estar cientes de que, mesmo “estando no caminho”, falhamos; nos equivocamos, em relação a nós e aos outros. Entramos em sintonias e vibrações adversas, produzimos e vivenciamos sintonias e vibrações nocivas, e por aí, continuamos a nos afastar do nosso Ser...

As atitudes, comportamentos, modo de ser e de se portar dos que estão despertos e no caminho exigem coerência...! A coerência própria daqueles que conseguiram se purificar de seus traumas, carmas, desilusões e mágoas...

Usee

Nenhum comentário:

Postar um comentário