domingo, 30 de setembro de 2012

Omraam Mikhaël Aïvanhov - Pensamento do dia...


Foto: Usee

"Se puserdes na terra um caroço ou uma semente de limão, de maçã ou de melão, vós não lhes dizeis:

 «Ouve bem:  o teu programa é tornares-te um limoeiro, uma macieira ou um meloeiro.»
 O caroço ou a semente já têm um programa inscrito neles, basta plantá-los para que esse programa se realize e eles se tornem o que a natureza espera deles. Eles agarram-se à terra e, dia após dia, vão-se desenvolvendo. Quando uma fase está terminada, eles passam à seguinte, não se questionam sobre o que têm a fazer daí a um ano ou cem anos.

Por que é que eu estou a falar-vos de árvores?

Porque o ser humano também é uma semente que tem o seu programa inscrito nele pela Inteligência Cósmica. Ele ainda não é capaz de o conhecer porque não para de elaborar por ele próprio programas que só obscurecem a sua vista e o fazem desviar-se do seu caminho. Ele deve manter-se interiormente livre, disponível, para descobrir o esquema inscrito profundamente na sua alma".

Pensamento de 2ª feira 1 de Outubro de 2012 



"Consciência interior"




Ocupamo-nos e nos preocupamos tanto com o “dia de amanhã”, com segurança e bem estar (nossa e de “nossa” família), absorvemo-nos excessivamente com este "objetivo" e deixamos de procurar dentro de nós o objetivo maior, o conhecimento e reconhecimento do SER; nossa "consciência interior",* sua LUZ e VERDADE, afim de nos guiar...

Apenas esta "consciência interior" nos pode libertar dos artifícios, vendas e amarras do “mundo”; das atividades e "projetos" que nos damos e para o qual nos dispomos/disponibilizamos com determinação e afinco.

Se me propus (proponho) romper com este estado de coisas, então, não existe mais espaço para as "minhas demandas"...

A atenção interior e a escolha do caminho são incompatíveis com a escolha “deste” mundo de “preocupações”, busca por “segurança”, de projetos pessoais (ou grupais), de “interesses”, etc. Tudo isso "me" limita e distraí, além de manter e alimentar padrões, conceitos, vibrações...

Apenas quando me (nos) liberto (libertamos) desses encargos que me imponho (nos impomos) e com os quais me envolvo (nos envolvemos), é que posso (podemos) escutar a voz do meu (nosso) Ser e sentir o que me (nos) diz o coração...

Usee

* Obviamente que a ideia de "consciência" comumente remete a uma consciência exterior; a um saber-se e compreender-se no mundo, etc. O uso do termo "consciência interior" quer dar aquele significado de "reconhecimento íntimo de si" enquanto Ser encarnado, sabendo-se, ciente, do pertencimento ao Todo e ao Projeto Divino...


terça-feira, 25 de setembro de 2012

Cuidado e Zelo...


Foto: Usee


Devo cultivar minha Paz interior!
Devo  estar atenta e vigilante
para com meu “estado interior”...
É ele que acusa e sofre
com as turbulências e desassossegos,
recorrentes, pela importância que dou
a minha relação com o externo...
Cuidado e Zelo:
é o que devo a meu Ser,
como responsabilidade primeira!

Usee


A Verdadeira Realidade...



Foto: Aleh 


Teimamos afirmar e viver segunda uma "realidade" que não passa de ilusão... Enquanto isso, não nos damos conta que caminhamos para o (no) vazio... Vamos nos esvaziando...

Deixamos de perceber o fundamental: 

* A Verdade que nos deve conduzir e que devemos projetar; que devemos, uma vez cientes, observar.

* A Realidade Divina, tão explícita e tão acessível...

Falta-nos o entendimento e a consciência do que somos e do que nos cabe...., a começar pela "realidade interior" que nos constitui e que ignoramos... É aí que a Verdade se revela em primeiro lugar! É aí que começamos a nos libertar da ilusão!

Usee

domingo, 23 de setembro de 2012

Sabedoria...



No homem, a sabedoria é expressa através de palavras e atitudes... É quando exprime sua real “Natureza”; “Essência” / SER.

A verdadeira sabedoria (humana) “toca”, revela, convence, dá entendimento, produz discernimento, revela Luz e Verdade, assim como faz cada ser criado (que também está sobre a Terra...).


O que comunica, assemelha ao que expressa a semente ao fazer nascer a planta, a planta ao fazer nascer a flor, a flor ao fazer nasceu o fruto, o fruto ao produzir a semente...




Assemelha-se, ao canto de um pássaro... ao perfume que cada flor exala, ao parto (e depois o cuidado e o afeto) de cada bicho com sua cria, a simbiose de cada folha com o ar e com a luz, a sintonia de cada célula com o resto do organismo...

O que traduzem? SABEDORIA!
Dão a conhecer, torna evidente a Criação, a Sabedoria Divina...!

Nos raros momentos em que consegue expressar sua sabedoria, traduzindo seu Ser, o homem também realiza o trabalho que lhe cabe, de ser segundo ser o Ser, de traduzir-se, no/pelo entendimento de sua Verdade interior... Dando a conhecer a Verdade e a Sabedoria Divina.

Quando não o faz é porque está ocupado demais com o externo, atendendo a seus apelos, seduzido pelo efêmero...Neste horizonte pensa cumprir o que lhe cabe neste mundo. Pensa, mas se engana!

Somente quando nos distanciamos da “zona da ilusão” e dos “apelos do mundo”; de suas vibrações e seduções, é que podemos “criar condição” para viver segundo nossa Essência, revelando, traduzindo e realizando o Projeto Divino em nós.

Usee



A Verdade que deve vigorar





A Verdade que deve vigorar em cada um de nós, é Aquela que vigora em cada um dos outros seres, e que estes revelam com simplicidade, amorosidade, clareza...

Quando, pela consciência e pelo entendimento, me “reconheço” como parte do Todo, reconheço, também, meu papel/tarefa na passagem por este mundo. Abro-me, e assumindo-me como "Ser no mundo", me determino a sua realização (realização de sua Natureza/Essência).

Passo a reconhecer meus medos. Com cuidado e zelo procuro curar-me deles. Passo a desapegar-me, a desabituar-me de hábitos arraigados - aos poucos, e cada vez mais.

Assim, livre de amarras, atuando com simplicidade, sem "pretensões ou interesses", disponibilizo-me, passo a me doar, atuar... Assumo a responsabilidade de cada uma das minhas escolhas, decisões e passos...

Cumpre-me, nestes termos, ser verdadeira; consoante a meu Ser. É por esta via se dá sua/minha integridade...

Usee


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Pertencimento do Ser



Quem escolhe estar consigo, 
ciente e coerente com o que lhe cabe, 
não usa máscaras. 
Além disso, entende, sente, 
deseja-se e coloca-se “à parte” 
(separado) de qualquer relação/atitude 
hipócrita ou egoísta, 
seja na relação com os outros 
(seus diferentes ou iguais), 
seja na relação com o Todo a que pertence... 
  
O Ser não se separa de sua natureza (essência), 
e esta não se distancia da Natureza Divina; 
de sua Luz e Verdade. 

O sentimento de pertencimento do Ser ao Todo 
se traduz pela consciência, pelo entendimento 
e pela coerência na atenção 
e no cumprimento do que lhe é devido.

Usee

Publicado anteriormente em 28/02/2012

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Quando precisamos de reparo...


Quando os sentimentos, emoções, aluições, nos tiram do eixo, é porque estamos afastados do nosso verdadeiro “Eu”; alheios e/ou apartados do que, intimamente, deve refletir nossa Luz Interior.



É quando entramos no jogo e nas artimanhas do ego, negando reconhecer nossos “atos falhos”, seja de que natureza for...

Nesta ocasião, há quem se “julgue” em paz consigo e com todos, sendo Luz sem sê-lo.

O certo é: precisamos de reparo e cura..., afim de desfazar, reverter, nosso “escuro interior”...

Se recusamos dar atenção a nossa consciência interior, deixamos de escutar-nos ali, onde podemos ser sensatos e atentos para com nossos sentimentos, emoções, aluições...reações.

Além disso, deixamos de perceber o que esta atitude produz; o “tipo” de “vibração” que (de verdade) ela reflete e propaga...

Usee


Reconheço...




...Somente pelo “desapego”
é que posso me desprender
do que me seduz e aprisiona,
e ceder lugar a outros valores...

Meu suporte e ponto de partida,
deve ter como origem e destino,
o Ser, a Verdade, a Luz,
que o Verdadeiro Amor revela,
e que devo propagar...

Usee



sexta-feira, 14 de setembro de 2012

O sentido...



Nenhum outro ser, além do humano, se interroga e/ou questiona sobre o sentido e finalidade da vida.





Todos os seres, do microscópico e desconhecido ao mais manifesto e conhecido, expandem, dando a perceber o Amor Universal. Todos explicitam o Amor Divino, emanam amorosidade, Cor, Luz, Sintonia, Harmonia, vivem segundo sua natureza e destino...

Nós humanos perguntamos, e mais perguntamos!
Inquietamo-nos, supomos, suspeitamos, tememos...!
Sim! Muitos de nós tememos... Ao que tememos? Sabemos?

Perguntar sobre o sentido não faz mal. Porém, a cada pergunta feita, a cada “suposição” levantada, nos afastamos da verdade que o existir encerra. Pelo simples fato destas não incluírem a observação e o entendimento sobre nós próprios, e por não nos incluirmos, conscientemente, na Criação (sabendo o que isto significa e representa!).

[posso até afirmar que sou fruto da Criação, mas sei o que isto significa, realmente sei? Este “saber” tem um peso e uma responsabilidade...]

Se não conseguimos encontrar o sentido dentro de nós é porque estamos muito longe de compreender-nos enquanto existência “encarnada” no mundo, realizando um Projeto Divino e Universal, em comunhão consubstanciada com o Todo.




Fora desta comunhão não passamos de “coisas”! Coisificadas!

Quem se sabe e reconhece enquanto Ser, quem está consciente do que lhe cabe, procura viver segundo o que lhe é devido....

Aqueles que não sabem e não vivem segundo esta referência, não se “reconhecem” como filhos; obra da Criação, não sabem olhar ao redor, não sabem perceber e sentir o Amor, patente no que os cercam e em si mesmos.

Para estes, o Conhecimento e o Amor nada revelam!
Portanto, não gozam da luz da inteligência, não usufrui do sentir do coração, apenas se deixam levar pela vontade cega; norte de seus desejos, vivem uma amnésia interior.

Façamo-nos cientes!:

- Foto: Aleh - 


O sentido da vida não se alcança 
senão vivendo-a segundo a Unidade, 
segundo o Amor que o Ser revela.

Isto constitui transcendência e imanência, 
encontro, doação, entrega, amorosidade, 
simplicidade, retidão, integridade, sintonia..., 
ante e perante a Vontade Divina!


Usee

domingo, 9 de setembro de 2012

O propósito em "SER..."


Foto: Aleh

Sobriedade, temperança, transparência e simplicidade
são virtudes que, quando praticadas, remete-nos
ao mais profundo do Ser; ao nosso interior.

Quando, em algum momento as praticamos,
 experimentamos o Amor e a Sabedoria Divina.

Pela sobriedade alcançamos a tranquilidade
 sensível, intelectual, mental, espiritual.
Centramo-nos, reconhecemo-nos, 
aceitamo-nos, perdoamo-nos...

Pela temperança alcançamos o equilíbrio
e o externamos nos gestos, nas atitudes, nas ações.
Passamos a agir com sabedoria, 
coerência, sensatez... 

Pela transparência nos mostramos
damos a conhecer nosso íntimo,
tornamo-nos amorosos, justos, verdadeiros...
respeitando, reconhecendo, compreendendo...,
a Todo Ser; a todos, sem distinção.

Pela simplicidade acolhemos,
vivificamos nossa natureza e essência
evidenciamos nossa luz interior, 
propagando-a, sendo exemplo...

“SER” e viver segundo o SER,
segundo a Virtude e o Amor,
é sim, de cada um!

Esta é uma condição tangível
para quem, minimizando
as vicissitudes e influências do mundo, 
se dá ao propósito de Ser...
[segundo a virtude, segundo o Amor]

Usee


sábado, 8 de setembro de 2012

Atenção interior...




Pela observação e atenção interior,
comecei a identificar sentimentos
que eu pensava serem produzidos
apenas em/por meu interior:
sentimento de medo, indignação, 
culpa, perda, posse, tristeza, 
de estar sendo iludida, e tantos outros.

Dei-me conta de que estes sentimentos
não foram e nem são produzidos em meu interior,
senão pela ignorância e/ou desatenção
para com o meu Ser.

É nesta condição que abro guarda
e dou guarida ao meu ego...
deixando-me guiar pelo externo,
pelo que este produz e alimenta em mim:
"vontades", "desejos" e  "intenções" egoistas,
reações, energias e vibrações pesadas;
nocivas ao meu caminhar...

Na medida em que (procurei) procuro
“reparar-me” interiormente,
curo-me (curei-me) de seus sintomas
liberto-me (libertei-me) de seus efeitos.

Usee


Qual é o lugar do ser humano? - Omraam Mikhaël Aïvanhov -


Pensamento selecionado:
5ª feira 27 de Novembro de 2008

http://www.prosveta.com

Foto: Aleh 

                                                     
"Cada criatura deve encontrar o seu lugar, tal como o peixe na água, a toupeira debaixo da terra, a ave no ar e a salamandra; diz-se no fogo?

E qual é o lugar do ser humano?

O universo inteiro.

Neste universo, os diferentes organismos que o constituem têm uma ligação com os quatro elementos: o corpo com a terra, o coração com a água, o intelecto com o ar, a alma e o espírito com o fogo.

Evidentemente, é desejável que encontreis o vosso lugar numa família, num país, numa profissão, mas isso não é suficiente.

Se o vosso coração, o vosso intelecto, a vossa alma e o vosso espírito não encontrarem também o lugar onde receberão o alimento de que necessitam, sentir-vos-eis sempre insatisfeitos.

O coração precisa do calor, o amor; o intelecto precisa da luz, a sabedoria; a alma precisa da imensidão e o espírito precisa da eternidade.




sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Reparo e equilíbrio...



O esforço pelo equilíbrio 
exige, antes, um reparo interior...

É pela prática do perdão 
e do respeito, a si e aos outros, 
que o reparo se dá.

Depois, se dá
pelo propósito que se assume: 
de observação e atenção 
para com as atitudes futuras.

E, por fim, pela determinação 
e permanência no caminho, 
segundo a Luz e a Verdade.


O esforço é de cada um, 
segundo sua consciência e entendimento. 

Porém, a  vigilância e entrega 
são necessárias. 
E devem estar assentadas 
na sinceridade do coração.

Usee