quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Se o coração for puro...





Se o coração for puro
o olhar será atento
o sentir será profundo
o pensamento será leve;
por sua razão de ser...

Sendo simples e sincero:
no modo de olhar
na maneira de sentir
no jeito de estar
de se manifestar
se entregar
se reunir...


Usee


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Entrega à Providência Divina...




Entregar-se à Providência Divina é confiar e esperar, mas também, determinar-se, trabalhar-se a atuar, amparado nesta confiança e espera.

Entrega-se quem, pelo silêncio e entendimento, revigora todos os dias, sua confiança e espera, sem acomodar-se, agarrar-se ou escorar-se..., quer nesta confiança (sem trabalhar-se e reconhecer-se limitado, falho e frágil em seu ego), quer na espera (pela curiosidade, inquietação, insegurança ou medo).

Quem, diante dos eventos, acontecimentos, barulhos, questões, sabe discernir, silenciar-se, escolher e agir de acordo com seu Ser, mantendo-se íntegro e atuante...

Não é através de palavras e discursos que esta entrega se dá:

[Posso dizer que confio e espero, sem, contudo, fazê-lo efetivamente].

São minhas atitudes, aquelas dirigidas pelo coração e sem interferências externas, que me devem confirmar esta entrega. E devo saber reconhecê-las, a fim de rever-me...

Assim como não posso proferir e fazer sabida/compreendida aos/pelos outros (pelo que digo que faço ou deixo de fazer; minhas atitudes), também não posso impor nem julgar a quem quer que seja, por não manifestá-la a meu entendimento e consciência (torná-la evidente a mim; torná-la reconhecida por e para mim).



O “lugar” onde a Providência Divina atua é a consciência; interior de cada um. É aí que é reconhecida. É daí que vai se refletir, materializando-se, na instância ou situação que tiver que fazê-lo.

Usee


"Sintomas" do julgamento... (I)





Querendo ou não o “silêncio”, meu e do outros, é, e vai ser, sempre sintomático... Também o é o julgamento que faço e fazem deste.

Aliás, o comportamento, atitudes, ações ou omissões também são sintomáticos e alvo dos julgamentos que “elaboramos”...

Para cada um o “julgamento” feito, quando em vibração inferior (pesada), consiste e deve consistir em matéria de revisão constante...

Do mesmo modo, a limpeza e cura do que os comportamentos, atitudes, ações e omissões sintomatizam...

Usee


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

...Ainda que nos percamos...





Quer nos reconheçamos interiormente ou não. Quer aprendamos ou não a reconhecer nossa luz e verdade interior, é dentro de nós que ela vai estar, porque é aí que reside nosso verdadeiro Eu, pronto para se deixar “ouvir”, compreender e guiar, pronto para se dá a escuta e atenção, pronto para se expandir e refletir...



Ainda que nos percamos em nossos hábitos e questões, ainda que nos tornemos alheios, que nos envolvamos ou nos deixemos emaranhar e seduzir pelo externo; não lhe dando a devida atenção nem deixando nos guiar por sua Luz e Verdade, Ele vai estar ali, até o último instante, aguardando nossa determinação e escolha.

Usee

O Sono...uma analogia ou um exemplo?





Um breve vazio, um breve silêncio...

Assim nos encontramos em nosso sono:
adormecidos, alheios, fora de nós;
não sabidos, inconscientes, frágeis,
inexistentes para nós mesmos,
num corpo que repousa...

...Breve instante necessário, 
que fecha cada dia do nosso existir...:

Uma analogia do eterno que nos cabe e espera, ou um exemplo do que devemos “observar” em nós,  a fim de nos reparar?


Que o nosso “sono” diário seja análogo a um “rito de passagem”, à oportunidade da revisão e do reparo que precisamos proceder cá dentro de nós, o tempo inteiro...

Que o “dormir e acordar” sejam tomados como uma oportunidade de perdão e mudança; de dentro para fora...

Usee

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

O perder-se e o encontrar-se...



Uma pessoa se perde de si mesma
por muitos motivos
e se encontra por muitos outros.

Entretanto,
para se perder e se encontrar,
os motivos diferem quanto a sua origem.

Ninguém se perde para/por dentro,
quando volta para si;
para seu interior e Ser.

Porém, é no “fora” de nós
que estão os motivos
pelos quais nos perdemos.

Sabê-los, uns e outros,
é sinal de aprendizado e entendimento. 
Pode conduzir-nos à revisão, à consciência...

Usee


Pequenos Pensamentos - CLXXXII - ArqueiroHur


Postagem original, em 24.09.2012


           Ninguém pode lhe dar o que é seu.
           O que habita em você, que é do SEU SER!

           Assim, ninguém lhe dá consciência

           Você é que A aceita, quem A assume 
           ou não.

           Você é quem age com e por Ela
           ou não.

           É você que A faz expandir-se 
           ou não.

           Os 'de fora', como o Universo Evolutivo,
           apenas apontam, 'relembram'...
           e observam os seus passos,
           o seu caminhar.
                                                                 ArqueiroHur

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A mudança que nos cabe...


Foto: Aleh

O nosso retorno ao Ser e ao Todo, 
passa e deve passar 
por uma mudança profunda em nós mesmos, 
pela consciência do que nos cabe e é devido
(como já foi dito tantas vezes).

Mas esta mudança não se processa,
na/pela dependência ao externo, 
nem pela relação com mestres, gurus ou líderes, 
com suas "orientações" e/ou induções,
nem passa por aí...

Usee

VIDA - Omraam Mikhaël Aïvanhov


Foto: Aleh


Até onde o progresso das ciências e das técnicas conduzirá os humanos?

Eles deveriam colocar esta questão a si mesmos seriamente antes que seja demasiado tarde.

Por enquanto, este progresso faz-se em detrimento da vida, porque todas as investigações e melhorias têm por objetivo, essencialmente, a satisfação das suas necessidades instintivas.

Eles creem que assim vão viver mais intensamente, mas, na realidade, trata-se apenas de uma agitação superficial. Eles chamam “viver” a uma forma de pensar e de agir que os arrastará, mais garantidamente, para a morte.

Escutai-os quando eles falam em aproveitar a vida; isso significa explorarem, com vantagens para eles, todos os recursos do planeta.

Nós devemos pensar em preservar a vida, em protegê-la e, para isso, desenvolver todas as faculdades psíquicas e espirituais que nos permitirão beneficiar das riquezas da natureza sem termos de nos apropriar delas.

Só que, para tal, é preciso estarmos sempre vigilantes e dominarmos os nossos desejos, a fim de não sermos violentos em relação a tudo o que nos rodeia, não só a natureza, mas também os humanos.

Omraam Mikhaël Aïvanhov




domingo, 3 de fevereiro de 2013

Caminho reto...



Publicado pela primeira vez em 05.09.2012


Existe um caminho reto,
Da ORDEM e da HARMONIA,
apontado pelo coração,
revelado pelo sentir.

A sabedoria, 
que ao íntimo o propaga, 
anuncia o que é preciso entender:
que é este o caminho seguro
que ao TODO nos quer reunir.


Usee



sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A verdadeira consciência... II




Aquela consciência que reside em cada um, e que precisa ser despertada, é o primeiro passo e guia no sentido do reconhecimento de si, do rever-se, do perdão, do entendimento, do caminhar...

É ela que nos faz estar atentos e focados em nossos sentimentos e pensamentos, vigilantes quanto a eles e quanto a nossas atitudes, condutas, posturas, relacionamentos, etc.

Seu desdobramento é a observação de “si mesmo” e do meio em que se está. Por aí é que podemos identificar e reconhecer aquilo que nos afeta e intranquiliza, levando ao afastamento de nós mesmos e do caminho.

É através dela que permanecemos vigilantes/atentos ao que falamos, ao modo como agimos, aos lugares em que estamos ou nos inserimos, ao que compartilhamos, a quem nos ligamos e como o fazemos, nossas motivações, intenções, interesses, etc.

Atuando com ela escolhemos o Ser ao invés do ego, o Amor ao invés da Paixão, a Verdade em lugar da mentira, a Luz ao invés da penumbra ou da sombra..., o Bem, a Justiça...

Decidimos por vibrar, disseminar e propagar aquilo que nosso Ser reflete... Decidimos pelo pertencimento ao Todo e pelo sentimento de Unidade; que passamos a nutrir e nos orientar.

Usee


...Quando nos negamos...


Publicado  como Pequenos Pensamentos - CXXXVII em 15.01.2012 
                                            em http://arqueirohur.blogspot.com.br


                  Uma vez que 
                  a verdade está dentro de nós, 
                  deixar de exercê-la 
                  é contradizer-nos a nós mesmos. 


                  É por aí que nos negamos, 
                  que deixamos de ser 
                  o que verdadeiramente somos.
 
                                                   Usee