segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O Sono...uma analogia ou um exemplo?





Um breve vazio, um breve silêncio...

Assim nos encontramos em nosso sono:
adormecidos, alheios, fora de nós;
não sabidos, inconscientes, frágeis,
inexistentes para nós mesmos,
num corpo que repousa...

...Breve instante necessário, 
que fecha cada dia do nosso existir...:

Uma analogia do eterno que nos cabe e espera, ou um exemplo do que devemos “observar” em nós,  a fim de nos reparar?


Que o nosso “sono” diário seja análogo a um “rito de passagem”, à oportunidade da revisão e do reparo que precisamos proceder cá dentro de nós, o tempo inteiro...

Que o “dormir e acordar” sejam tomados como uma oportunidade de perdão e mudança; de dentro para fora...

Usee

Nenhum comentário:

Postar um comentário