quinta-feira, 30 de maio de 2013

Esforço e vigilância




É pelo esforço e vigilância contínuos,
e por abrir-me ao aprendizado, 
que me reconheço, dou passos 
e vou me libertando dos ‘meus’ grilhões interiores,
que escuto meu coração e reconheço as mudanças
que passo a vivenciar;
com humildade e simplicidade.


Usee


Vida Espiritual - Omraam Mikhaël Aïvanhov













"O homem que não tem qualquer vida espiritual assemelha-se à semente que não foi deitada à terra.

Esta semente permanece no celeiro e, evidentemente, está tranquila, não está sujeita à acção da chuva, nem do vento, nem do granizo; mas corre o risco de apodrecer ou de ser comida pelos ratos, o que é pior.

Do mesmo modo, aquele que abraça a vida espiritual não será poupado: terá que enfrentar o vento e as tempestades, mas encontrar-se-á em condições que lhe permitirão crescer, o que é preferível a ser comido pelos ratos ou a apodrecer.

E não fiqueis perturbados se a vida espiritual vos põe face a dificuldades que uma existência puramente materialista vos teria poupado.

Apesar do vento e da chuva, apesar das tempestades, continuai a avançar pela estrada que vos conduzirá ao mundo divino."



Omraam Mikhaël Aïvanhov


"Humildade é não julgar"

 





Humildade é não julgar

Queridos Filhos,
na LUZ do AMOR reconhecerão as energias
em vós mesmos, como também ao redor.

Estas, enquanto não entendidas geram :
desequilíbrio, fuga, agitação, alienação...
esconderijos do ego,
com suas mais variadas manifestações.

Caminhem constantemente revendo.

Trabalhem a humildade e a paciência:
Não julgando
ou se indignado com o que desconhecem.

Já que com esta sintonia,
acabam identificando-se com energias
que já não são mais as vossas....
Pelo julgamento e indignações "reforçam"
e alimentam a sombra e seus egoísmos.

Queridos,
algumas destas energias tomam formas
que nem todos podem atuar sobre elas.

Busquem vossos orientadores/instrutores
e toda Irmandade da LUZ,
e em UNIDADE entreguem ao UNIVERSO.

Recebam a LUZ do MEU AMOR.
Francesco, o Mentor

Por Lei-fio




“Sintomas” do julgamento... (II)



                                                     Postagem original em 05/03/2012


Uma vez que meu jeito de ser é o esboço das marcas e sentimentos que trago e cultivo (íntegros ou não), sou eu, com meu jeito de ser: atitudes, comportamentos e conduta, que dou ao outro, elementos e motivos para elaborar seu julgamento e avaliação sobre mim.

Material que ele aproveita sempre muito bem, dada à sua condição de ser; produzida e alimentada pelo externo, reforçada pelas marcas e sentimentos que também traz.

Quando essas marcas e sentimentos são íntegros, dou ao outro elementos/motivos não para julgar-me, mas para qualificar-me, e, quem sabe, colher daí algum exemplo. Este caminho é também inverso, do outro para mim.

Seja como for, nunca fujo a seu olhar e julgamento (avaliação e suposição), nem ele do meu.


Posso trabalhar-me interiormente, a fim de rever-me, posso não me deixar levar e influenciar pelos conceitos do mundo e padrões sociais, posso viver uma vida de entrega e disciplina espiritual e esforçar para refletir esta minha condição, enumerar meus exemplos atitudinais (fiz isso, fiz aquilo, não faço isso, não faço aquilo) e esperar que o outro também o faça...Mas, ainda assim, vou estar sob a ótica de seu julgamento e refém dele (ou ele de mim).

Posso até dizer que não me importo com o julgamento alheio, mas, uma hora ou outra, é certo que vou me doer e sentir incomodada. Quando considerá-lo injusto, vou esboçar alguma reação (e achar natural esboçá-la).

Posso, por fim, me separar, “sentir” e afirmar estar separada do outro; em (e por sua) condição de ignorância.


Entretanto, não posso deixar de reconhecer que através dele vou estar submetida aos conceitos e aos padrões, mesmo involuntariamente, e, ainda que me sinta firme e equilibrada interiormente, vou dar algum sinal de fraqueza, manifestando minha própria ignorância, por/quando assim fazê-lo.

Se me ponho atenta a meu interior e atitudes, vou saber que é assim...

Diante disto, cabe-me o trabalho interior constante, para, em consciência, atuar e transmutar aquelas marcas e sentimentos, que produzem ou possam produzir desequilíbrio e alimentar minha fraqueza.


Devo, portanto, diante do reconhecimento do peso do julgamento alheio sobre mim, estar atenta aos sintomas que estes acendem e inflamam em meu interior; identificando-os, e suas possíveis causas, a fim de transmutá-las, minimizando sua vibração e efeito.

É por esta via que crio condição para rever-me, perdoar e perdoar-me, harmonizar-me, me elevar, ascender...


Usee



quarta-feira, 29 de maio de 2013

A dor e a Cura


Google Imagem

‘Cara fechada’, mau humor, indiferença, egoísmo, agressividade, descontrole, reação e ímpeto emocional etc. De onde vem tudo isso e o que significam?

É raro alguém parar, se perguntar e buscar compreender a origem, não é? E é comum entregar-se nas mãos de um ‘profissional’, esperando dele a solução ou cura.

FATO É: vivemos demasiado doentes, atravessados pela angústia, inquietação ou dor, emocional, mental e mesmo física, produzida/gerada pelo ressentimento/rancor/mágoa, pela carga dos traumas passados e/ou recentes e pela vibração dos carmas que produzimos. Somos afetados por tudo isso...

Somos afetados e deixamos de reconhecer que a cura passa, em primeiro lugar, pela aceitação do fato de que fomos e somos afetados por tudo isso, para então dar passos no sentido da revisão, do perdão, da limpeza. Quando isso acontece (reconhecer, rever, perdoar, limpar), damos passos importantes no sentido da cura!

Em segundo lugar, a cura acontece através do amor. Quando aprendemos a nutrir-nos desse sentimento, amamo-nos e aos outros, aceitamo-nos e aos outros, vibramos na Paz, permitimos sua vibração, e nos libertamos (da angústia, inquietação e da dor)...


Usee

terça-feira, 28 de maio de 2013

Indisponibilidade e limite



















Dizer não entender/compreender algo que está sendo apontado (seja de que forma for, e através de quem ou do que quer que seja), e não fazer esforço para aprender a fazê-lo, é limitar-se ao que se está acostumado e conformado, mantendo-se neste nível de ser...


O que dá suporte a esse limite, também alimenta a indisponibilidade  nossa de cada dia: é  a resistência, a vaidade, o egoísmo, a arrogância... Em não escutar, reconhecer, observar, rever, perdoar... 


Usee


Nossas resistências...(Revisto)

                                   

                                                Postagem original em 03/10/2012
Foto: Aleh


Nossas resistências nos retém e contém...

Sua fonte? Sempre o externo, sob (e em) todos os aspectos! É ele, que incide sobre nós, moldando-nos, influenciando, determinando nos...

Somos suscetíveis o bastante para nos deixar conduzir... Então, formam-se nossas resistências, de modo que cedemos a elas e negamos nossa voz interior, quando esta nos chama e aponta o caminho da Verdade/Luz, do Ser.

Quem, em consciência, consegue se ver como parte do Todo, sente, reconhece e sabe que há algo a realizar enquanto aqui estiver; em comunhão com seu Ser...

Sente, sabe e reconhece, mas, muitas e muitas vezes, cede às resistências, negando a si e a seu Ser; negando a Luz e a Verdade que este evidencia.

Procurar identificar o que “gera” nossas resistências é fundamental. Só assim podemos neutralizá-las, resisti-las,  saná-las.

Somente quando identificamos sua origem é que podemos nos observar, reconhecer nossas fraquezas e equívocos, levantar-nos, nos determinar, caminhar...


Usee


domingo, 26 de maio de 2013

"...trabalhar com a Luz..." - Omraam Mikhaël Aïvanhov















Como entrar em relação com Deus, esse Ser que é para nós tão impossível de apreender, tão inacessível, tão insondável?

O melhor método para se ligar a Ele, para O sentir, para contactar com Ele, é trabalhar com a luz, concentrar-se na luz, mergulhar nela, regozijar-se nela, pois a luz é a expressão do esplendor divino.

A luz é como um oceano de vida que vibra, que palpita; podeis mergulhar nela para nadar, para vos purificar, para a respirar, a beber e mesmo para a comer...

Só no seio da luz é que captareis algo da essência da Divindade.

Omraam Mikhaël Aïvanhov





sexta-feira, 24 de maio de 2013

Os princípios e os conceitos ( I )


A Vida, o Movimento e o Ser, que todo Universo encerra e guarda, são princípios Divinos que independem dos conceitos humano para serem compreendidos. Sente-se e compreende-se em si! (como se diz comumente: "na pele").

Princípios são Verdades, patentes, evidentes, explicitas e presentes em todas as coisas (em todo ser criado) - LUZ/VERDADE inerente a cada SER!

Uma vez que somos constituídos segundo estes Princípios, somos determinados e governados por Eles, ainda que deles nos afastamos e os negamos.

Tomemos como exemplo esses Princípios (citados acima), para refletir sobre nossa relação com os conceitos humanos e seus valores, através do quais pensamos, agimos e julgamos, supondo compreender o Mistério da Criação; a condição, natureza e modo de ser de cada Ser...

Cabe a pergunta: de onde podemos tirar nossas certezas? Dos Princípios que a Criação evidencia e que constituem a Unidade e a Fonte do nosso ‘ser no mundo’, ou dos conceitos, inventados, propagados e assimilados por nós ao longo de nossa existência encarnada, como forma de domínio e controle?

Se soubermos observar e perceber, a nós e o que nos cerca (toda Criação), nosso Ser nos fará ver e dará entendimento sobre nossa condição no mundo, de entregues à Vontade Divina e ao governo dos princípios que experimentamos pelo sentir, não pelo pensar/supor (conceitos).

Pelos princípios somos íntegros, Unos, iluminados e amparados. 

Pelos conceitos somos individualizados e individualizamos, afastamo-nos de nossa condição Divina de ser e nos entregamos as consequências desta entrega.


Usee

quinta-feira, 23 de maio de 2013

A Luz e o Caminho...



Quando acontece de nos deixar iluminar por nossa luz interior, ela nos faz ver o caminho trilhado e o caminho a trilhar, sentir e saber o que é preciso mudar, com o que é preciso romper, o que é preciso perdoar e rever para abraçar o propósito de ser segundo nosso Ser/ segundo a Vontade Divina e direção do Universo Evolutivo...

Devemos então atendê-la, dispondo-nos e nos colocando sob sua luz; sob a ação da Luz...

É através da disposição e disponibilidade interior que aprendemos a escutar nosso coração (com sabedoria; reconhecendo e compreendendo o que aponta o sentir) e rever nossas atitudes.

O coração, quando puro, sereno e sincero, indica o caminho a trilhar; mostra o que é preciso ver e rever.

Se/quando o escutamos, saberemos discernir e escolher: como ser, como estar e portar diante das situações e ‘provações’, diante dos desafios, limites e barreiras que se interpuserem ao caminhar.

E virão àqueles/aquilo que nos podem e vão orientar –  pela Luz/Verdade que propagam e/ou emanam: uma pessoa, situação/fato, uma atitude/comportamento, a Natureza/ algum ser vivo ou fenômeno, etc. – por nos fazer ver, reconhecer, aprender, perdoar...

Enquanto vivermos aqui, nesta existência encarnada, tudo virá e nos será dado (ver, vivenciar...) para que possamos aprender. Do mesmo modo, o que nos foi dado no passado teve a finalidade de que aprendêssemos.

É certo, só  receberemos o que estamos preparados para receber/lidar (ainda que julguemos o contrário).Quando há o aprendizado, é porque permitimos a ação da Luz sobre nós, ao escutar nosso coração, discernir e nos guiar por Ela.




Mas, tudo: o que escutar, aprender, acolher, rever, mudar...só a cada um cabe escolher e efetuar...

É de cada um a escolha do caminho e o caminhar!

Usee


ENGANO (I e II) - ArqueiroHur


                    Publicado neste blog em 30/01/2013


ENGANO

Postado em 17.01.2013
em http://arqueirohur.blogspot.com.br/

Engano é supor que tudo se finda neste aqui,
que não há consequências
ou que se consertar o indevido.
Repetindo, por teimosia e arrogância as situações,
sem me aceitar, me perdoar e rever.




Engano é não perceber tudo como aprendizado.
Não sentindo a mão da Criação em cada Ser e situação.
Principalmente nas ações mais
tenebrosas ou conflitantes para o nosso ego/conceito;
sendo nestas,
a oportunidade de demonstrarmos
o nosso equilíbrio e aprendizagem.



Engano é esquecer
que a Criação e o TODO,
que tudo veem, tudo sabem e tudo podem...,
têm as soluções para o que quer que seja.
Que só cabe a Eles,
dar, retirar e destinar
a continuidade do aprendizado, da vida.




Engano é não crer na Criação,
no Seu Plano,
injuriando-me contra Ele
e me entregando a “pedidos” e “sonhos”,
sem me responsabilizar ou cuidar
do meu caminhar.




Engano é "não me ver” e perceber/sentir no TODO;
e desta forma, distante e individualizado,
cometer o maior de todos os enganos, que é:
me afastar da Criação.

ArqueiroHur


ENGANO II

Postado em 18.01.2013 
em http://arqueirohur.blogspot.com.br/2013/01/engano-ii.html




ENGANO II

Engano é tentar me esconder,
fingindo ser, para os outros, o que não sou;
disfarçando e ou 'procurando' compensar
aquilo que sei ser e estar em mim,
me incomodando.




Engano é pensar que engano a alguém!
Pois quando ‘minto’,
falto com a VERDADE que habita em mim.
E negando-A,
nego a minha consciência, ao meu Coração,
a minha Voz interior... e ao TODO.




Então, a quem penso enganar?

ArqueiroHur


quarta-feira, 22 de maio de 2013

Amor, sabedoria, verdade - Omraam Mikhaël Aïvanhov

Amor, sabedoria, verdade - cada virtude faz a ligação entre as outras duas.


Imagem: Aleh


"Sabedoria, amor e verdade formam, simbolicamente, um triângulo no qual cada lado faz a ligação entre os outros dois.

A sabedoria une o amor à verdade.

Ela dá ao amor o poder de vivificar a existência e à verdade o de nos tornar livres, quaisquer que sejam as condições.

O amor une a sabedoria à verdade.

Ele traz uma abertura, uma generosidade necessária à manifestação da sabedoria em sintonia com o poder libertador da verdade.

Sem o amor, não podemos ter uma boa visão das coisas nem ser livres.

A verdade une o amor à sabedoria.

Ela é a concretização do amor, a vida perfeita, e da sabedoria que ilumina o nosso caminho.


Nunca esqueçais que estais no ensinamento do amor, da sabedoria e da verdade, e então o amor inundará o vosso coração, a sabedoria abrir-vos-á as portas do universo, cujas chaves possui, e a verdade fará de vós um criador."


                                                                                                                            http://www.prosveta.com