terça-feira, 4 de junho de 2013

Consciência e amparo




O “novo” não é o tempo, que eterno é segundo a Vontade do Pai, mas a Consciência que em tudo está a vigorar e que a tudo coloca sob seu amparo neste tempo de agora.

E, sim! O tempo é de cura, a cura que liberta e que a tudo devolverá à origem.

Muitos são e serão os chamados. Muitos são e serão os sinais. Mas, não espere, procure dentro de si. Procure-os e compreenda!

Sempre foi e será assim, os sinais sempre estiveram aí, até o retorno será assim! Então, compreenda-os e guarde-se das ilusões, das evocações*, do que acumulas em si.

Não juntes poeira em vosso coração¹, nódoas² em vossa alma, nem cerres véus³ em vossa mente.

É a cura que deves buscar, com a consciência a vos amparar.

Dou-vos meu amparo no Amor.

Sou uma consciência de Luz.

Por Usee

NOTA: Relativo às notas abaixo, cabe ressaltar o entendimento que precisamos ter, das noções que esta "consciência" traz e que estão relacionadas entre si: 1) juntar poeira no coração tem a ver com as atitudes que temos: de julgar, de nos prender/fixar a coisa, situações, pessoas, crenças, etc, de nos mantermos irredutíveis em nossas convicções, seja por vaidade ou presunção, seja por interesse ou conveniência, fechando-nos, negando-nos a limpeza (dessa poeira); 2) as "nódoas" que juntamos, resultam, também, dessa resistência e negação, quando deixamos de nos limpar/perdoar/rever, quando produzimos máculas e mágoas, quando nos permitimos ser afetados pelas situações e vibrações; 3) os véus que cerramos são também resistências, resistimos e nos mantemos fechados ao rever, ao perdão, a limpeza e a cura interior...Por assim nos mantermos é que nos abrimos à evocação e a ilusão, anulando, por esta via, nosso Ser, deixando de nos colocar sob o amparo da consciência universal e do Amor.

__________________________

[2] Aulete: mancha e fig. mácula.
[3] Aulete: fig. Aquilo que cobre ou esconde alguma coisa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário