segunda-feira, 8 de julho de 2013

A experiência mais fundamental...




A mudança interior que uma pessoa pode experimentar e vivenciar, e que a põe em relação consigo; com seu Ser e Essência, se dá por uma revisão constante e profunda que começa pelo reconhecimento de ‘quem’ se é e se prolonga pela assunção da responsabilidade por tudo aquilo que se escolhe e faz.

E a experiência mais fundamental que uma pessoa passa e pode passar através dessa mudança é a da libertação do que lhe prende, ilude, individualiza e oprime: os desejos, os “projetos de vida”, as buscas vazias, o sentimento de “posse”, os apegos, etc., que imagina lhe trazer ‘felicidade’ e realização.

Não me canso de falar da necessidade da mudança interior (tenho feito isso em alguns escritos), pois a tenho experimentado e sentido de forma vital. Isto tem me alimentado e fortalecido tanto, que sinto a necessidade de transbordar um pouco (através das palavras) o que me vai por dentro... (Eu tento!).

A mudança em mim se iniciou quando comecei por reconhecer o vazio e a superficialidade que meu existir encerrava, por não me compreender como parte do Todo que me abraçava, amparava, e ao qual pertencia como parte indivisa.

Obviamente que precisei de um “empurrão” para acordar do meu sono profundo... Pude observar os ‘exemplos’ e, principalmente, aprender a “olhar” e “ver”,  a mim mesma e a tudo que me rodeava, com olhos de contemplação e entendimento, com amorosidade, serenidade, simplicidade e humildade – posturas e atitudes que precisei aprender a exercitar... E continuar a fazê-lo!

Tanta direção e compreensão essa experiência me deu e dá! Tanto me fez e faz reconhecer, observar, rever, desconstruir, perdoar, aceitar, aquietar, silenciar...! Atitudes nunca antes vivenciadas – pelo menos não verdadeiramente!...

...Aprendi a perceber os sinais que as pessoas, coisas, situações, eventos e acontecimentos emitiam e emitem. Que o Universo ao meu redor emite! Aprendi a perceber meus próprios sinais! Estes sãos ainda mais necessários!... E pude aprender a escutar-me!...

Escutar-se é sentir-se e abrir-se para escutar o eco e o silêncio de todas as coisas, para distinguir o silêncio do barulho, a Verdade da mentira, a veracidade da ilusão, a simplicidade da ostentação, a humildade do orgulho, a consonância da dissonância... e fazer, aos poucos, a varredura e limpeza do que entrava, oculta, violenta e oprime: medo, egoísmo, rancor, vaidade, arrogância, presunção, etc.

Imagem MSN Brasil


A mudança interior, mais do que qualquer outra, liberta e assenta o sentir e o pensar. Harmoniza mente e coração, corpo e alma, Ser e ego... Faz-nos fortes, serenos e atentos às pequenas e grandes coisas/eventos que revelam o Amor e o Amparo do Pai. É, por si só, a condição de vida mais fundamental, no sentido de realizarmos o propósito de nossa existência: de viver segundo a Lei do Amor, do perdão, da doação.


Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário