terça-feira, 10 de setembro de 2013

O despertar da Consciência e o Novo




O despertar da Consciência instaura o Novo no interior de cada um, de dentro para fora, como a luz do Sol que, ao romper a escuridão da noite, vai alvorecendo, clareando, revelando o dia... A partir daí, cada um, dirigido por esta Consciência, começa por libertar-se do que lhe aprisiona, conforma, venda os “olhos”...

Em nós, analogamente ao Sol, a luz desta consciência vai rompendo a escuridão da ignorância, da ilusão, da conformação...

Novo é o estado interior e o tempo de viver segundo este estado. Nele não cabem mais apegos, dependências, vícios, hábitos, egoísmo, vaidade, arrogância, etc. Não cabe mais solidão, tristeza, ações e reações emotivas, determinados comportamentos, determinadas atitudes, desejos e o quereres individualizantes...

Destes cada um procura e deve procurar se libertar, para estar em consonância com este estado.

A Consciência do Novo nos faz cuidadosos e atentos, responsáveis e sinceros, vigorosos e dispostos, íntegros e integrados na Unidade do Todo. Unidade que ampara e nos faz fortes diante dos desafios...

A Consciência do Novo nos integra e reúne na amizade, na amorosidade, na simplicidade, de modo a nos distanciar e eximir da segregação, do individualismo, do julgamento, da inveja, “intenções”, pretensões, “interesses”...

A Consciência do Novo faz vigorar em nós o desejo de caminhar, pois inclina-nos ao caminho e dá as ferramentas para nele nos manter. A cada um, porém, cabe à atenção, cabe o rever, o silenciar, o escutar e atender o chamado, a orientação...

A escuta à Consciência nos leva a viver segundo o Novo, (interior e tempo de vivê-lo). É Ela a Luz que cada um traz dentro de si e que espera o despertar. Uma vez que o despertar acontece, têm-se os instrumentos e as condições para se vencer as resistências, libertar-se das prisões e das ilusões.

O despertar da Consciência acontece para os que se dispõe (interiormente) a viver segundo o Novo (isto o sentir revela). Mas exige escolha e mudança! 

Para viver o Novo é preciso escolher e acolher o SER (com toda mudança e transformação necessária para que isto aconteça). Daí em diante não cabe outra atitude senão a de vigilância, responsabilidade, disponibilidade e doação.


Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário