quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Turbilhão e libertação...


Google Imagem

O turbilhão em que vivemos nos desequilibra por dentro e por fora. E vivemos sim, um turbilhão! Através dele nos sentimos alheios, angustiados, apartados/individualizados, perdidos, negados, violentados, etc.

Trata de um "sentimento" que, pelo não reconhecimento de quem somos e do que nos cabe,  de fato nos coloca  nestas condições.

Percebamos! Tudo isso é sinal e consequência de nossas escolhas e consentimentos.... Devemos reconhecer  o seu manifestar (em nós) a fim de lançar sobre ele nosso olhar e aprender a nos responsabilizar, pelo que é preciso fazer e devido realizar...

Se nos chama o coração ( e ele chama!), a seu chamado devemos atender. Cabe-nos silenciar e escutar sua voz, no que ela revela e diz: que somos, na ordem da Criação, o reflexo do Amor, igualmente presente em todo Universo e colocado acima de qualquer turbilhão, de qualquer desequilíbrio, de qualquer inquietação, separação, violência, desamor, destruição...

Somos naquele se mantém a espera...: o sinal da Presença Divina, do Divino Amor, revelado no amparo que a todos abraça e  cuida, enquanto espera. Quem disso ousa duvidar nega-se, e nega a Providência e a Vontade Divina!

Precisamos nos reconhecer e nos colocar sob esse amparo. E podemos fazê-lo mediante a libertação de tudo que nos amarra, prende, reduz, anula, violenta..., podemos fazê-lo mediante o Amor e o perdão; que deve ser exercido e difundido através de cada um de nós...

Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário