sábado, 25 de janeiro de 2014

"Trabalho espiritual - deve permanecer secreto"


Imagem: National Geographic/Portugal




"O trabalho espiritual deve sempre ser feito em segredo. Só se pode partilhar com os outros o resultado do seu trabalho. É melhor não dizer nada sobre o trabalho em si mesmo, aquilo em que ele consiste, as experiências que se faz, os estados de consciência que se vive.

As pessoas podem vangloriar-se dos seus diplomas, dos seus feitos desportivos, dos seus sucessos nos negócios, etc., mas a vida espiritual exige a maior humildade.

Há que trabalhar, e pronto!, mantendo o silêncio em relação àquilo que se procura realizar e ainda mais sobre o que se conseguiu realizar.

Pode-se falar, mas de uma outra maneira: pelas suas emanações, pelas suas vibrações, pelo exemplo que se dá, pela boa influência que se exerce. Não mais do que isso."

Omraam Mikhaël Aïvanhov


A propósito do escrito de Omraam:


O “trabalho espiritual” constitui um exercício da espiritualidade, e é preciso sensatez em relação a estes, que devem ser exercidos individualmente, sem imposições externas e exibicionismos, consoante a voz interior.

Há pessoas que, movidas pelo hábito da exibição e da vaidade, fazem questão de narrar/descrever seus afazeres, suas conquistas, etc., pelas quais se vangloriam , como diz Omraam (e o fazem ainda que involuntariamente). O mesmo não deve acontecer em relação à espiritualidade que se vive, ao trabalho que se propõe a fazer e que se faz.

Há que se ter claro o que estes requerem: o silêncio, a coerência nas atitudes, a serenidade, humildade, simplicidade; no modo de ser e agir... É desta forma que se deve refleti-los; manifestando a consonância entre trabalho e vivência (espiritual)... E esta consonância aparecerá, sim!, pela emanação, vibração e pelo exemplo.

No fim das contas, propagamos, refletimos e convencemos mais pelos gestos e menos pelas palavras ou discursos.

Usee


Nenhum comentário:

Postar um comentário